O HERÓI DA FAMÍLIA

O HERÓI DA FAMÍLIA

(Nicholas Nickleby)

2002 , 108 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Douglas McGrath

    Equipe técnica

    Roteiro: Douglas McGrath

    Produção: Jeff Sharp, John Hart, Simon Channing Williams

    Fotografia: Dick Pope

    Trilha Sonora: Rachel Portman

    Elenco

    Andrew Havill, Anne Hathaway, Christopher Plummer, Henry McGrath, Hugh Mitchell, Jamie Bell, Stella Gonet

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Quem conhece minimamente a obra de Charles Dickens sabe que seus personagens são divididos em bons e maus. E esta regra também é aplicada em O Herói da Família que, dirigido por Douglas McGrath (Emma), é adaptação do romance Nicholas Nickleby - a quarta já feita para o cinema (as anteriores foram lançadas em 1903, 1912 e 1947).

    Em meados do século 19, Nicholas Nickleby (Hugh Mitchell) é um jovem que acaba de perder o pai. A família Nickleby - que além de Nicholas é formada pela mãe (Stella Gonet) e a irmã Kate (Romola Garai) - resolve se mudar do interior da Inglaterra para Londres a fim de pedir ajuda financeira ao tio Ralph (Christopher Plummer), que se tornou um investidor de sucesso na capital. O que eles não sabem é que o parente também se tornou um homem ruim como o diabo: faz parcerias escusas, não se incomoda em oferecer a sobrinha aos amigos e quer fazer de tudo para acabar com nosso herói.

    Mesmo assim, Ralph arranja um emprego para Nicholas em um colégio interno para qual as famílias londrinas mandam seus filhos pequenos. O jovem descobre que lá os alunos são maltratados pelo diretor caolho, o senhor Squeers (Jim Broadbent), e sua mulher (Juliet Stevenson). Revoltado, Nicholas foge da escola e leva consigo Smike (Jamie Bell, o menino de Billy Elliot), um aleijado vítima dos maus-tratos do casal. No caminho, os dois se juntam a uma trupe de atores mambembes e voltam a Londres para livrar as mulheres Nickleby das garras de Ralph.

    Agora, espere mais do que isso de O Herói da Família: romance, vinganças, reviravoltas e sofrimento, muito sofrimento. Porque, neste filme, os vilões sabem como ser maus e os heróis sofrem como condenados. Mas o longa tem um problema: a falta de brilho do protagonista. No meio de um elenco cheio de atores consagrados, ficou difícil para Hugh Mitchell segurar a peteca. E, se você torcer para que o senhor Squeers ou mesmo tio Ralph se dêem melhor do que o próprio Nicholas, não se preocupe. É que, obviamente, eles chamam muito mais atenção do que o protagonista. Isto não chega a comprometer a qualidade da produção, indicada ao Globo de Ouro de Melhor Filme - Comédia/ Musical. Apesar de ser um grande dramalhão, é muito bem feito e consegue ser leve o suficiente para que você se divirta sem medo.

    O Herói da Família é um daqueles filmes "café-com-leite": não faz você sair gritando de empolgação do cinema, mas também não desperta a vontade de conversar com o bilheteiro e pedir o dinheiro de volta. É um drama de época perfeito para se ver munido de um balde de pipocas.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus