O IMPLACÁVEL

O IMPLACÁVEL

(Get Carter)

2000 , 100 MIN.

14 anos

Gênero: Ação

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Stephen Kay

    Equipe técnica

    Roteiro: David McKenna

    Produção: Elie Samaha, Mark Canton, Neil Canton

    Fotografia: Mauro Fiore

    Trilha Sonora: Tyler Bates

    Elenco

    Alan Cumming, John C. McGinley, Johnny Strong, Michael Caine, Mickey Rourke, Miranda Richardson, Rachael Leigh Cook, Rhona Mitra, Sylvester Stallone

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Já sentido o peso dos seus 54 anos, Sylvester Stallone volta às telas para representar o tipo que o consagrou nos anos 80: brutamontes, violento, e justiceiro... à sua maneira. Agora, ele é Jack Carter, um truculento mafioso de Las Vegas que retorna à sua cidade natal para acompanhar o enterro de seu irmão. Lá chegando, porém, Carter logo percebe que na realidade seu irmão não morreu de maneira acidental. Com sede de vingança, ele inicia uma violenta e implacável perseguição aos assassinos. Fim da história.

    Esta é a terceira adaptação para o cinema do livro “Jack´s Return Home”, escrito por Ted Lewis. A primeira, produzida na Inglaterra em 1971, se chamou Carter, O Vingador, e tinha Michael Caine no papel que hoje é de Stallone. A segunda, Hit Man, de 1972, foi dirigida por George Armitage, e aproveitava a linha aberta por Shaft para tentar criar um novo herói negro de ação.
    Esta terceira versão não diz a que veio. Não tem o mesmo charme do original britânico (embora tenha Michael Caine), não oferece um bom pique de ação, não traz novidades, enfim, não tem nada que convença o público a desembolsar dez reais diante de uma bilheteria. Nem o roteiro de David MacKeena, o elogiado roteirista de A Outra História Americana conseguiu salvar o filme. E para quem achava impossível, Stallone está ainda pior do que em seus trabalhos anteriores, careteiro e inexpressivo. Enfim, uma grande perda de tempo.

    O público americano também foi implacável com o filme, que mal ultrapassou os US$ 15 milhões de faturamento nas bilheterias dos EUA. Menos da metade do seu custo.

    Celso Sabadin é jornalista especializado em cinema desde 1980. Atualmente é crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão e do Canal 21. Às sextas-feiras é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus