O INCRÍVEL HULK (2008)

O INCRÍVEL HULK (2008)

(The Incredible Hulk (2008))

2008 , 114 MIN.

10 anos

Gênero: Ação

Estréia: 13/06/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Louis Leterrier

    Equipe técnica

    Roteiro: Zak Penn

    Produção: Avi Arad, Gale Anne Hurd, Kevin Feige

    Fotografia: Peter Menzies Jr

    Trilha Sonora: Craig Armstrong

    Estúdio: Marvel Enterprises, Universal Pictures

    Elenco

    Aaron Berg, Adrian Hein, Al Vrkljan, Arnold Pinnock, Carla Nascimento, Carlos A. González, Chris Owens, Chris Ratz, Christina Cabot, David Collins, David Meunier, Débora Nascimento, DeShaun Clarke, Desmond Campbell, Edward Norton, Genelle Williams, Grant Nickalls, Greg Bryk, James Downing, Jason Burke, Jason Hunter, Javier Lambert, Jee-Yun Lee, Joe La Loggia, John Carvalho, John MacDonald, Joris Jarsky, Julio Cesar Torres Dantas, Krista Vendy, Lenka Matuska, Liv Tyler. , Lou Ferrigno, Martin Starr, Matt Purdy, Maxwell McCabe-Lokos, Michael Kenneth Williams, Mila Stromboni, Moses Nyarko, Nicholas Rose, Nick Alachiotis, P.J. Kerr, Paul Soles, Pedro Salvín, Peter Mensah, Raimundo Camargo Nascimento, Rickson Gracie, Robert Morse, Roberto Bakker, Robin Wilcock, Ruru Sacha, Scott Magee, Shaun McComb, Simon Wong, Stan Lee, Stephen Broussard, Stephen Gartner, Tamsen McDonough, Tig Fong, Tim Blake Nelson, Tim Roth, Todd Hofley, Tony Nappo, Tre Smith, Ty Burrell, Wayne Robson, Wes Berger, William Hurt, Yan Regis

  • Crítica

    13/06/2008 00h00

    O Incrível Hulk é produzido com um propósito muito específico (além de fazer dinheiro, como qualquer outro blockbuster): fazer o que Hulk (2003) não havia feito. Ou seja, ser uma adaptação digna do personagem em questão. E, neste sentindo, o longa dirigido pelo francês Louis Leterrier (Cão de Briga) cumpre seu papel, renovando e reiniciando a franquia que havia começado com o pé esquerdo sob a direção de Ang Lee.

    As primeiras cenas da aventura são bem conhecidas pelos brasileiros: o doutor Bruce Banner (Edward Norton) está no Brasil a fim de buscar uma cura para sua transformação no raivoso monstro verde em momentos de excitação extrema. Vivendo escondido dos militares norte-americanos - chefiados pelo general Thunderbolt (William Hurt), que querem transformar sua mutação em arma - na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, Banner busca um pouco de paz, sem muito sucesso. Quando descobrem que ele está por aqui (com direito a ótima participação de Stan Lee, que sempre faz uma aparição em filmes de seus personagens, levando os fãs de quadrinhos às loucuras), os militares de tudo para colocar suas mãos de Banner. Ele acaba recorrendo à ajuda da doce Betty Ross (Liv Tyler) para conseguir se livrar da perseguição e também dos raios gama em seu sangue.

    O Incrível Hulk tem boas seqüências de ação. O monstro é bem feito, assim como os efeitos especiais. No entanto, falta história em meio à trama principal, que mostra, basicamente, Banner fugindo dos militares. Mas existe uma densidade psicológica do protagonista - um monstrengo incompreendido, como tantos que já passaram pelo cinema - e também do antagonista, personagem do ambicioso comandante Emil Blonsky (Tim Roth) que faz com que o longa seja tanto inteligente quanto repleto de ação.

    O filme também conta com algumas piadinhas e referências à agência internacional S.H.I.E.L.D., que reúne os heróis dos quadrinhos conhecidos como Os Vingadores - incluindo Hulk e Homem de Ferro, os "heróis Marvel" das telonas nesta temporada. Aliás, O Incrível Hulk traz até uma participação especial do próprio Tony Stark (Robert Downey Jr.). E também de outro ator essencial para a construção do mito do personagem fora dos quadrinhos: Lou Ferrigno (ainda bastante musculoso) como a voz de Hulk (o que não seria reconhecível, no caso) e um guarda - mesmo papel desempenhado no longa de 2003. Para quem não se lembra, Ferrigno, com maquiagem verde e tudo, ficou famoso como a versão raivosa de Banner na série de TV produzida entre 1978 e 1982 (que também se chamava O Incrível Hulk).

    Desta forma, o longa funciona mais como uma transição, ao mesmo tempo em que tem referências suficientes para agradar aos fãs do personagem. Ou seja: espere mais para o próximo filme com as aventuras do herói. De preferência com Edward Norton como protagonista: fã confesso de Hulk, o ator o encarna de uma forma bastante digna. O que já era de se esperar, já que um personagem como este, tão cheio de nuances dramáticas, realmente pede um ator à altura e Norton, definitivamente, é. Calma, a seqüência ainda não foi anunciada, mas, se for pelo aperitivo dado em O Incrível Hulk, já esperamos a continuação.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus