O RETORNO DE JOHNNY ENGLISH

O RETORNO DE JOHNNY ENGLISH

(Johnny English Reborn)

2011 , 108 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia: 28/10/2011

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Oliver Parker

    Equipe técnica

    Roteiro: Hamish McColl, Neal Purvis, Robert Wade, William Davies

    Produção: Chris Clark, Eric Fellner, Tim Bevan

    Fotografia: Danny Cohen

    Trilha Sonora: Ilan Eshkeri

    Estúdio: Relativity Media, StudioCanal, Universal Pictures, Working Title

    Distribuidora: Universal Studios

    Elenco

    Andrei Alen, Andrew Woodall, Benedict Wong, Burn Gorman, Chris Jarman, Christina Chong, Clara Paget, Courtney Wu, Daniel Kaluuya, Dave Holland, Dominic West, Eleanor Wyld, Ellen Thomas, Emma Vansittart, Eric Carte, Gary Kane, Gillian Anderson, Ian Shaw, Isabella Blake-Thomas, Janet Whiteside, Joséphine de La Baume, Lily Atkinson, Lobo Chan, Maisie Fishbourne, Mandi Sidhu, Margaret Clunie, Mariella Frostrup, Mark Ivanir, Miles Jupp, Oliver Zheng, Paul Carr, Pik Sen Lim, Richard Schiff, Richard Syms, Roger Barclay, Rosamund Pike, Rowan Atkinson, Rupert Vansittart, Seelan Gunaseelan, Siu Hun Li, Stephen Campbell Moore, Teresa Mahoney, Tim McInnerny, Togo Igawa, Wale Ojo, Williams Belle

  • Crítica

    27/10/2011 13h17

    Se o Controle tem o Agente 86, o MI-7 tem Johnny English. O agente mais atrapalhado do Serviço Secreto Britânico está de volta após fazer um razoável sucesso na comédia que levou seu nome, em 2003.

    Para justificar esta ausência de oito anos, os roteiristas criaram a ideia que Johnny English (Rowan Atkinson, o famoso Mr. Bean), após uma desastrada missão na África, foi expulso da inteligência britânica e se isolou num intenso treinamento entre monges tibetanos. Mas agora ele terá de voltar à ativa.

    Claro que a história propriamente dita é o que menos importa neste O Retorno de Johnny English. O filme vale mesmo pelo carisma de Atkinson, que consegue arrancar algumas boas risadas, ainda que atuando num roteiro onde a maioria das piadas é bastante previsível. Mas este é o diferencial de quem tem talento: mesmo sendo fácil antever que acontecerá, o riso acaba sendo inevitável, graças a Atkinson. E provavelmente só a ele.

    Sim, existem algumas boas situações. Provavelmente a melhor delas seja o fato do Serviço Secreto Britânico ter sido privatizado, patrocinado por uma multinacional japonesa, e agora se chamar “Toshiba Inteligência Britânica”. Uma deliciosa sátira ao capitalismo excessivo. Mas o restante das gags se apoia mesmo sobre a paródia a 007 (inclusive na trilha sonora) e sobre as peculiaridades do protagonista.

    O Retorno deJohnny English não é um filme de gargalhadas, mas de sorrisos. Compatível, diga-se, com o humor britânico, mais sutil que o escancarado norte-americano. Talvez o público brasileiro estranhe a ausência de grosserias.

    Ah, vale a pena esperar mais um pouquinho durante os créditos finais.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus