O SOBREVIVENTE (2006)

O SOBREVIVENTE (2006)

(Rescue Dawn)

2006 , 126 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 07/12/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Werner Herzog

    Equipe técnica

    Roteiro: Werner Herzog

    Produção: Elton Brand, Harry Knapp, Steve Marlton

    Fotografia: Peter Zeitlinger

    Trilha Sonora: Klaus Badelt

    Elenco

    Christian Bale, Jeremy Davies, Pat Healy, Steve Zahn, Toby Huss, Zach Grenier

  • Crítica

    07/12/2007 00h00

    Werner Herzog, quem diria, se rendeu a Hollywood. O ex enfant terrible alemão, que tanto sucesso fez nos anos 70 e 80 com obras inquietantes como O Enigma de Kaspar Hauser, Coração de Vidro, Stroszek e várias outras, está lançando seu primeiro filme de ficção totalmente produzido nos EUA. Após o ótimo documentário O Homem Urso (também de produção norte-americana, porém, documentário), Herzog foi buscar inspiração na história real de seu conterrâneo Dieter Dengler para roteirizar e dirigir O Sobrevivente. Na verdade, Herzog já conhecia muito bem a vida de Dieter, que pesquisou a fundo para realizar o documentário O Pequeno Dieter Precisa Voar, de 1997. Agora, com um orçamento estimado em US$ 10 milhões, e o apoio da Metro-Goldwyn-Mayer, a saga de Dieter Dengler virou uma boa ficção.

    Mas quem foi, afinal, Dieter Dengler? Um imigrante alemão que se alista nas forças armadas dos EUA com o sonho de se tornar piloto de aviões. Um sonho que começa a se transformar em pesadelo em 1965, quando o então jovem piloto - agora tenente - recebe finalmente sua primeira missão militar durante a Guerra do Vietnã e é abatido sobre o Laos. Capturado pelo inimigo, ele e mais cinco prisioneiros vivem um verdadeiro inferno em meio à instransponível mata fechada do sudeste asiático, enfrentando fome, torturas psicológicas e os mais cruéis tipos de privações.

    É sobre este período da vida de Dieter que se concentra o filme de Herzog. Cineasta apaixonado pelas situações extremas (quem não se lembra de Aguirre a Cólera dos Deuses ou Fitzcarraldo?), Herzog dedica praticamente o filme inteiro a expiar a dor e a indignação deste grupo de homens que chegam às raias da animalidade na busca insana pela sobrevivência. Até que ponto conseguimos ir na luta pela vida? Os personagens de O Sobrevivente vão fundo. Já o filme, nem tanto. Embora dirigido com competência, o roteiro faz claramente uma opção comercial de não chocar o público a níveis que poderiam comprometer seu faturamento. A vida dos cinco prisioneiros - supõe-se - resvala numa radicalidade que o filme prefere evitar. Tudo é de certo ponto amenizado para o gosto padrão do grande público, e não se percebe na narrativa o Herzog (atualmente com 65 anos) inquieto de outras épocas.

    Mesmo assim, o diretor mantém algumas de suas idiossincrasias, como fazer questão de filmar realmente nas condições adversas da selva (desta vez a locação foi na Tailândia) e submeter seu elenco a um rigoroso trabalho físico de modo que todos efetivamente emagrecessem de forma visível durante as filmagens, conferindo maior veracidade ao projeto.

    O papel principal ficou com o eficiente Chrtistian Bale (o "novo" Batman) que, numa determinada cena do filme, parece reviver um momento vivenciado pelo personagem que ele próprio interpretou em O Império do Sol. Repare que a visão que ele teve quando garoto, ao travar contato visual com um piloto dentro de seu avião, é extremamente similar a uma famosa cena do filme O Aviador, de Steven Spielberg. "Viagens" do cinema...

    De qualquer maneira, pode-se dizer que O Sobrevente é um bom filme. Mas não é um bom filme de Werner Herzog, de quem se espera sempre mais.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus