O VENTO NOS LEVARÁ

O VENTO NOS LEVARÁ

(Le Vent Nous Emportera / Bad Ma Ra Khabad Bord)

1999 , 118 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Abbas Kiarostami

    Equipe técnica

    Roteiro: Abbas Kiarostami

    Produção: Abbas Kiarostami, Marin Karmitz

    Fotografia: Mahmoud Kalari

    Trilha Sonora: Peyman Yazdanian

    Estúdio: MK 2 Productions

    Elenco

    Ali Reza Naderi, Bahman Ghobadi, Behzad Dorani, Farzad Sohrabi, Frangis Rahsepar, Lida Soltani, Masoameh Salimi, Masood Mansouri, Noghre Asadi, Reihan Heidari, Roushan Karam Elmi, Shahpour Ghobadi

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Quem caiu em sono profundo ao ver Gosto de Cereja provavelmente terá reação idêntica ao assistir O Vento Nos Levará, do mesmo diretor Abbas Kiarostami. O filme é indicado apenas para os fãs do tão badalado e controvertido cinema iraniano. E tem o ritmo já bastante característico da estética cinematográfica daquele país: árido, muito árido.

    A história tem início com três homens da cidade grande – meio perdidos numa estrada desértica – que chegam a um pequeno vilarejo para acompanhar uma cerimônia fúnebre. Porém, conscientemente ou não, Kiarostami prefere nunca deixar muito claro o que exatamente está acontecendo em seu filme. Sugere-se que estes homens da cidade estariam realizando um documentário. Sugere-se que a cerimônia fúnebre aconteceria em homenagem a uma velha senhora da vila, que se encontra à beira da morte. Sugere-se.

    Novamente Kiarostami aborda o tema da morte de maneira enigmática. Ao deixar em aberto as várias interpretações que a ação possa sugerir, o cineasta divide sua obra com a platéia, como que pedindo ao espectador que ele mesmo preencha as lacunas do roteiro com suas próprias respostas. Para um público acostumado ao limitado “american way of filming”, onde tudo é detalhadamente explicado, O Vento nos Levará beira o insuportável. Para os apreciadores do cinema de arte, é uma bela e rica experiência. No mínimo, e como sempre, Kiarostami é novamente polêmico.

    O filme ganhou o Prêmio da Crítica e o Grande Prêmio Especial do Júri no Festival de Veneza de 1999.



    13 de dezembro de 2000
    ------------------------------------
    Celso Sabadin é jornalista especializado em cinema desde 1980. Atualmente é crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão e do Canal 21. Às sextas-feiras é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus