O VIRGEM DE 40 ANOS

O VIRGEM DE 40 ANOS

(The 40 Years Old Virgin)

2005 , 117 MIN.

16 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Judd Apatow

    Equipe técnica

    Roteiro: Judd Apatow, Steve Carell

    Produção: Clayton Townsend, Judd Apatow, Shauna Robertson

    Fotografia: Jack N. Green

    Trilha Sonora: Lyle Workman

    Estúdio: Apatow Productions, Universal Pictures

    Distribuidora: UIP

    Elenco

    Catherine Keener, Paul Rudd, Romany Malco, Seth Rogen, Shelley Malil, Steve Carell

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Apesar do tema ser um tanto surreal - dificilmente você irá encontrar um homem virgem dessa idade -, as cenas hilárias transformam o filme em um agradável passatempo. O Virgem de 40 Anos é o primeiro trabalho de Judd Apatow como diretor, além de tê-lo escrito e produzido. De uma forma natural, Apatow não põe limites em seu texto, repleto de piadas sujas e pesadas, mas que não chocam, principalmente pelo fato de fazerem parte da conversa de qualquer grupo de amigos mais desbocado. Desde sua estréia nos cinemas norte-americanos, o filme ficou em primeiro lugar nas bilheterias dos EUA e arrecadou US$ 20,6 milhões em três dias, atraindo supreendentemente o público feminino. Segundo a Universal Pictures, as mulheres foram responsáveis por 54% do público.

    O Virgem de 40 Anos, como o próprio título já diz, conta a história de Andy Stitzer (Steve Carell), virgem aos 40 anos, cujo passatempo preferido é cozinhar e assistir a Survivor, um reality show da TV americana. Andy trabalha em uma loja de eletrônicos e possui um apartamento decorado com bonecos raros de personagens de histórias em quadrinhos e super-heróis. Numa rodada de jogo de pôquer, Andy deixa escapar seu segredo para os colegas de trabalho que, não acreditando isso ser possível, começam a fazer de tudo para reverter essa situação, mas nada dá certo. Quando ele conhece Trish (Catherine Keener), sua esperança de perder a virgindade volta a existir.

    A diferença entre O Virgem de 40 Anos e filmes como Clube dos Cafajestes está no fato do primeiro envolver sentimento, transformando o que seria apenas mais uma comédia com palavrões e cenas de sexo em uma comédia romântica. Apesar do escracho, Judd Apatow soube dosar na medida certa a meiguice de Andy e seu profundo respeito pelas mulheres com o desejo sexual selvagem de seus amigos, que vêem a maioria das mulheres como objetos de satisfação pessoal. Esse contraste vai sendo reduzido, conforme vão conhecendo melhor o jeito Andy de encarar a virgindade.

    A maioria das comédias mistura cenas de humor improváveis com temas de fácil identificação, mas, quando o assunto é sexo, torna-se muito difícil acreditar que uma pessoa sem problemas de relacionamentos, de boa aparência e com uma estabilidade financeira, seja virgem por opção. O que segura o enredo são as cenas engraçadíssimas ao lado dos amigos Jay (Romany Malco), David (Paul Rudd) e Cal (Seth Rogen), além da boa atuação de Steve Carell (Todo Poderoso) em sua primeira experiência como protagonista. Acostumado a roubar as cenas dos atores principais, Carell tem aqui toda a liberdade para criar e mostrar seu talento humorístico em O Virgem de 40 Anos.

    O humor descompromissado acaba se tornando o ponto forte do filme, que pode ser considerado um divertido estudo caricato sobre o comportamento do homem na sociedade. Em O Virgem de 40 Anos, os homens do público espectador rirão, lembrando de alguma situação familiar, enquanto as mulheres terão a chance de conhecer melhor o universo masculino.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus