ONDE A TERRA ACABA

ONDE A TERRA ACABA

(Onde a Terra Acaba)

2002 , 75 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Sergio Machado

    Equipe técnica

    Roteiro: Sergio Machado

    Produção: Maurício Andrade Ramos

    Fotografia: Antônio Luiz Mendes Soares

    Trilha Sonora: Antonio Pinto, Ed Côrtes

    Elenco

    Matheus Nachtergaele

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Para os apaixonados pelo cinema brasileiro, trata-se de uma obra-prima. Onde a Terra Acaba, primeiro longa-metragem de Sérgio Machado (roteirista de Central do Brasil, O Primeiro Dia e Abril Despedaçado), mostra o resultado de mais de dois anos de pesquisas que o cineasta realizou sobre a vida e a obra de Mário Peixoto (1908-1992).

    Diretor do célebre e emblemático Limite, em 1931, Peixoto foi uma personalidade enigmática e controvertida. É considerado um grande gênio do cinema brasileiro, embora tenha realizado apenas um único filme. Intelectual, estudou na Europa. Simples, chegou a realizar uma pequena ponta num filme apenas pelo puro prazer do cinema. Já no final da vida, construiu um paraíso particular à beira mar. Estas e muitas outras histórias são levantadas por Sérgio Machado por meio de trechos de diários, entrevistas e cartas do próprio Mário Peixoto.

    Mas, sem dúvida, o que mais emociona e chama a atenção são as imagens raras dos bastidores das filmagens de Limite e também de Onde a Terra Acaba, filme que Peixoto jamais concluiu e emprestou o título deste documentário. Com imagens tão preciosas em mãos, Machado poderia até ter se dado ao luxo de imprimir ao seu filme um tratamento convencional. Pelo contrário, ele preferiu ousar e criar. Como Peixoto faria. Suas imagens são poéticas, a trilha original de Antonio Pinto é hipnótica, a fotografia de Antonio Luiz Mendes chega a ser onírica e o resultado é um filme obrigatório para todos aqueles que - de alguma maneira - estudam, curtem, cultuam ou simplesmente são fãs do cinema brasileiro.

    Onde a Terra Acaba foi merecidamente recebido com entusiasmo por todos os festivais por onde passou. Entre outros, foi premiado em Biarritz, no Rio, na Mostra de São Paulo e em Recife.

    28 de maio de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus