Operários da Bola

OPERÁRIOS DA BOLA

(Operários da Bola)

2014 , 74 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia: 15/05/2014

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Virna Smith

    Equipe técnica

    Roteiro: Virna Smith

    Distribuidora: Espaço Filmes

  • Crítica

    12/05/2014 03h12

    Não há como olhar para a Copa do Mundo que o Brasil sedia a partir de junho sem levar em consideração as contradições envolvendo a organização do mundial. São esses questionamentos que permeiam a todo momento o documentário Operários da Bola, uma iniciativa válida para a estreia na direção de Virna Smith. Mas, o que vemos aqui é apenas uma aproximação ao tema, nunca uma reflexão mais aprofundada.

    O documentário acompanha um fato curioso: durante o processo final de construção do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, operários se uniram para disputar um campeonato de futebol. Ali estão indivíduos de todo o país, com histórias particulares. Cada qual a sua maneira, mas todos unidos por uma motivação coletiva: o futebol. Se, antes, esses indivíduos apaixonados pelo esporte acreditaram que um dia poderiam se tornar jogadores profissionais, hoje eles vivem a angústia e a decepção de nunca terem conseguido atingir seus objetivos.

    É justamente este choque entre sonho e realidade o grande trunfo do documentário, centrado em quatro personagens: um técnico que atua no campeonato; o goleiro do time campeão; um ex-jogador profissional; e o responsável pela organização do torneio. A diretora viajou até as cidades onde os quatro nasceram em uma tentativa de ampliar o holofote sobre suas realidades.

    Assim, temos um retrato cru e doloroso do mundo do futebol e suas particularidades: a influência dos empresários na carreira dos jovens jogadores e a dificuldade de ser escolhido nos processos de seleção são temas presentes. "Nem todo mundo pode ser um jogador de futebol, mas peão, isso tudo mundo pode ser", diz um personagem em determinado momento.

    Há, porém, alguns problemas no registro dessas histórias. A primeira escolha questionável é a ideia de inserir uma narração profissional típica das transmissões radiofônicas sobre os trechos das partidas exibidas entre as entrevistas. Sem passar qualquer emoção, destoa das imagens e compromete a percepção do espectador sobre as disputas em campo.

    Outro ponto questionável é o fato de que as entrevistas são todas mescladas com imagens captadas da construção do estádio - são vários minutos de manipulação de guindastes, instalação de blocos de concreto e coisas do tipo. Essas imagens, porém, aparecem de forma aleatória e sem conexão com entrevistas ou histórias relatadas.

    Operários da Bola parece bem intencionado, mas falta experiência à diretora para alcançar um registro mais profundo. A horizontalidade do trabalho parece torná-lo mais conformista do que resistente, o que, por si só, faz desta uma oportunidade praticamente perdida.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus