OS INCOMPREENDIDOS

OS INCOMPREENDIDOS

(Les Quatre Cents Coups)

1959 , 94 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • François Truffaut

    Equipe técnica

    Roteiro: François Truffaut, Marcel Moussy

    Produção: François Truffaut

    Fotografia: Henri Decaë

    Trilha Sonora: Jean Constantin

    Estúdio: Les Films du Carrosse, Sédif Productions

    Distribuidora: mk2

    Elenco

    Albert Rémy, Bernard Abbou, Christian Brocard, Claire Maurier, Claude Mansard, Daniel Couturier, François Nocher, Georges Flamant, Guy Decomble, Henri Virlojeux, Jacques Monod, Jean-François Bergouignan, Jean-Pierre Léaud, Luc Andrieux, Marius Laurey, Michel Girard, Michel Lesignor, Patrick Auffay, Pierre Repp, Renaud Fontanarosa, Richard Kanayan, Robert Beauvais, Serge Moati, Yvonne Claudie

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Chega aos nossos cinemas em cópias novas e restauradas, um filme, no mínimo, histórico: Os Incompreendidos, de François Truffaut. Histórico porque a obra é considerada a grande precursora do movimento Nouvelle Vague, que dominou a estética cinematográfica francesa (e mundial) a partir dos anos 60.

    Aqui, o estreante Truffaut mostra o drama de Antoine, um garoto com sérios problemas de adaptação à sociedade: repudiado pelos próprios pais, o menino não se adapta à escola nem a nenhum grupo social. A marginalidade e, conseqüentemente, a criminalidade parecem ser seus únicos caminhos na vida.

    Intimista e reflexivo, o estilo de Truffaut encantou o Festival de Cannes daquele ano, onde acabou ganhando o cobiçado prêmio de Melhor Diretor. E pensar que, antes de se aventurar na direção cinematográfica, o jovem francês era apenas um... crítico de cinema da revista Cahiers du Cinema!

    O segredo de Truffaut foi colocar no personagem Antoine as próprias memórias de juventude. Afinal, ele mesmo teve uma infância marcada pela rejeição, com um padrasto violento e uma mãe insensível. Antoine era, então, simplesmente um pequeno François.

    Ao inaugurar a Nouvelle Vague, Os Incompreendidos influenciou toda uma geração de cineastas. O cinema ficou mais fluido, mais solto, menos preso às regras rígidas e normas convencionais ditadas pelos norte-americanos. A câmera ficou mais “leve” e a narrativa mais aberta.

    Apenas isso já justificaria o preço do ingresso. Mas o filme vai além: mesmo aos 42 anos, Os Incompreendidos ainda surpreende e encanta com suas belas imagens em preto-e-branco e sua marcantes interpretações. Não deixe de ver.

    16 de abril de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus