OS SEM-FLORESTA

OS SEM-FLORESTA

(Over The Hedge)

2006 , 83 MIN.

anos

Gênero: Animação

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Karey Kirkpatrick, Tim Johnson

    Equipe técnica

    Roteiro: David Hoselton, Karey Kirkpatrick, Len Blum, Lorne Cameron

    Produção: Bonnie Arnold

    Trilha Sonora: Rupert Gregson-Williams

    Estúdio: DreamWorks Animation, DreamWorks SKG

    Elenco

    Avril Lavigne, Bruce Willis, Catherine O'Hara, Eugene Levy, Garry Shandling, Nick Nolte, Steve Carell, Thomas Haden Church

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    A animação da Dreamworks é um sucesso desde sua estréia nos EUA, que aconteceu no mesmo dia do lançamento do longa O Código da Vinci, com US$ 37,3 milhões arrecadados em primeiro fim de semana de exibição. Até agora foram cerca de US$ 145 milhões. O filme também promete no Brasil, mas poucos sabem a origem dessa divertida história. Over the Hedge - título original do filme - são tirinhas de quadrinhos muito populares entre os norte-americanos, desde 1995, escritas por Mike Fry e ilustradas por T. Lewis, consultores criativos do longa-metragem.

    Os Sem-Floresta conta a história de um grupo de animais liderado por Verne, uma tartaruga cuidadosa e metódica. Eles formam uma família estranha, composta por uma gambá pessimista, um casal de porcos-espinhos dedicado aos três filhos, uma sarigüê adolescente com vergonha do próprio pai e um esquilo hiperativo. Apesar das diferenças, eles são muitos felizes e vivem juntos em um tronco de árvore, até o fim do inverno. Quando acordam da hibernação, percebem algo muito diferente: um estranho muro formado por arbustos, limitando a floresta a um pequeno bosque. Do outro lado, um condomínio foi construído e eles se deparam com uma realidade totalmente desconhecida. Mas não para o manipulador RJ (Bruce Willis, na versão original), um guaxinim que se aproxima de uma inocente família para recuperar toda a comida que roubou do urso Vincent (Nick Nolte).

    Aventuras e perigos envolvem esses pequenos animais, mas o importante, em Os Sem-Floresta, são as lições deixadas, não só para o público mirim, mas para o adulto também. A animação é ecologicamente correta, mostrando o dano da invasão humana no hábitat dos personagens, que não sabem onde conseguir alimento. Algo simples, que se aprende rindo e se divertindo, sem aquele discurso demagógico de proteção ao meio ambiente, que faz qualquer criança dormir. Além disso, a animação resgata o valor familiar, tão fragmentado nos dias de hoje.

    Sempre por meio da visão dos bichinhos, eles mostram peculiaridades sobre os seres humanos, como o fato de viverem para comer e não comerem para viver. Com uma forte crítica ao consumo exagerado, eles provam que podem ser mais civilizados do que nós, tornando o filme mais inteligente do que possa parecer em um primeiro instante.

    O humor deste filme se distância de outras animações da Dreamworks como Shrek, com suas tiradas irônicas que só os adultos entendem. Também diverge das cores e traços marcantes encontrados nos personagens caricatos de Madagascar. Os Sem-Floresta é um longa-metragem com personagens "fofinhos", hilários, que contagiam a família inteira, independentemente da faixa etária de seus integrantes.

    A mensagem é simples, o humor é direto, a animação limpa (sem exagerar na informação visual) e o roteiro criativo e cheio de possibilidades, tanto que os diretores Tim Johnson (Formiguinhaz) e Karey Kirkpatrick (A Fuga das Galinhas) já estão empolgados com uma possível continuação. Se a intenção era unir os familiares de todas as idades, o objetivo foi alcançado. Parece que na briga entre estúdios de animação, a Dreamworks está encontrando seu espaço.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus