PACHAMAMA

PACHAMAMA

(Pachamama)

2008 , 105 MIN.

Gênero: Documentário

Estréia: 26/02/2010

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Eryk Rocha

    Equipe técnica

    Roteiro: Eryk Rocha

    Produção: Daniela Martins, Leonardo Edde

    Fotografia: Eryk Rocha

    Estúdio: Urca Filmes

    Distribuidora: VideoFilmes

  • Crítica

    26/02/2010 09h59

    Pachamama, nome inca para “Mãe Terra”, é o registro cinematográfico de uma viagem empreendida pela Amazônia brasileira, Bolívia e Peru. Não, absolutamente nada a ver com as imagens já estandartizadas por documentários tradicionais, na linha Discovery ou National Geographic. Mesmo porque Pachamama é dirigido por Eryk Rocha, filho de Glauber Rocha com a cineasta colombiana Paula Gaitán, ou seja, seu próprio DNA não permitiria a realização de um filme convencional.

    Munido de uma ágil câmera digital, Eryk registrou em torno de 80 horas de imagens, sem preocupações didáticas, para depois transformar todos este quilométrico material num documentário de pouco mais de 100 minutos. Uma viagem cinematográfica que pende para o lado experimental e - por que não - lisérgico. São imagens belíssimas, por vezes até hipnóticas, políticas, arquitetônicas e sobretudo humanas que convidam o espectador a embarcar nesta jornada latina sem pressa.

    Pelo caminho, o filme dá vez e voz aos irmãos latinos, tão próximos de nós geograficamente e paradoxalmente tão distantes do nosso repertório cultural. É um continente que quase não passa na televisão.

    Se fosse literatura, Pachamama seria Poesia, e não Prosa. E, por isso mesmo, uma obra destinada a um público mais aberto a experimentalismos, a um tipo de plateia que busca algo mais (ou muito mais) que lhamas e ditadores provincianos quando o tema é América Latina. Quem se dispuser a embarcar nesta viagem será bem recompensado.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus