PAI, FILHOS & ETC

PAI, FILHOS & ETC

(Père et fills)

2003 , 98 MIN.

12 anos

Gênero: Comédia Dramática

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Michel Boujenah

    Equipe técnica

    Roteiro: Edmond Bensimon, Edouard Bensimon, Michel Boujenah, Pascal Elbé

    Produção: Frederic Bourboulon, Luc Vandal, Roger Frappier, Sidonie Dumas

    Fotografia: Patrick Blossier

    Trilha Sonora: Michel Cusson

    Estúdio: Canal+, Téléfilm Canada

    Elenco

    Charles Berling. Bruno Putzulu, Geneviève Brouillette, Marie Tifo, Pascal Elbé, Philippe Noiret

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Tramas sobre reconciliações entre pais e filhos geralmente dão bons filmes. Ou, no mínimo, histórias lacrimejantes. Mas não basta o bom roteiro: é preciso também uma direção eficiente. E isso não acontece com a produção franco-canadense Pai, Filhos & Etc, um filme repleto de boas intenções não concretizadas.

    O setentão Leo (Philippe Noiret, o inesquecível Alfredo de Cinema Paradiso) se aproveita de um leve mal estar para tentar reconciliar seus filhos David (Charles Berling) e Max (Bruno Putzulu), brigados há anos. Mentindo, ele diz que terá de fazer uma operação de alto risco. Por isso, deseja viajar até o Canadá com os rapazes antes que o "pior" aconteça. Com o caçula Simon (Pascal Elbé, que também é um dos co-roteiristas do filme), David e Max acabam aceitando o pedido do pai, ainda que a contragosto, e os quatro partem para uma grande viagem que teria tudo para ser um desastre.

    Dentro da velha fórmula "conflito-viagem-redenção", Pai, Filhos & Etc tem um roteiro dos mais previsíveis, o que não chega a ser exatamente o principal problema do filme. O defeito mais grave está na direção do tunisiano Michel Boujenah, que não tem a sensibilidade que o tema exige. Mão pesada, ele parece dirigir com pressa, escancarando as situações, não deixando nada para o público descobrir, reduzindo tempos e proporcionando uma estética televisiva a uma história que tinha tudo para ser cadenciadamente cinematográfica. Um bom tema desperdiçado.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus