PALÁCIO DAS ILUSÕES

PALÁCIO DAS ILUSÕES

(Mansfield Park)

1999 , 110 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Patricia Rozema

    Equipe técnica

    Roteiro: Patrizia Rozema

    Produção: Sarah Curtis

    Fotografia: Michael Coulter

    Trilha Sonora: Lesley Barber

    Estúdio: Miramax Films

    Elenco

    Alessandro Nivola, Embeth Davidtz, Frances O'Connor, Harold Pinter, Hugh Bonneville, James Purefoy, Jonny Lee Miller, Lindsay Duncan, Sheila Gish

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Os livros da escritora Jane Austen (1775-1817) já renderam boas adaptações cinematográficas, casos de Emma, Razão e Sensibilidade e até de As Patricinhas de Beverly Hills (aqui adaptado com muito mais liberdade, é claro). Agora, mais um romance da famosa autora britânica ganha uma versão para as telas: Mansfield Park (publicado em 1814), que aqui recebe o título de Palácio das Ilusões.

    A história fala de Fanny (a bela australiana Frances O’Connor, de Amor e Outras Catástrofes), uma garota pobre que vai viver com uma tia rica em busca de melhores oportunidades para a sua vida. A menina cresce, transforma-se numa atraente jovem e se envolve numa trama ao mesmo tempo romântica e traiçoeira. Aos poucos, ela conhece um mundo diferente, falso, onde as fachadas sociais são mais importantes que os sentimentos verdadeiros. Não vai ser nada fácil para a ingênua Fanny se adaptar a esta nova – e fria – realidade.

    Palácio das Ilusões é um romance de época agradável e facilmente digerível. Romântico, leve e de alma eminentemente feminina. A direção – sóbria – é da canadense Patrícia Rozema, que também escreveu o roteiro adaptado a partir do livro de Jane Austen. Patricia conseguiu algum destaque no cinema ao escrever e dirigir O Quarto Branco e Quando a Noite Cai, filmes que não foram exatamente sucessos de bilheteria mas que colecionaram críticas bastante positivas.

    Palácio das Ilusões pode não ser genial, mas é despretensioso e gostoso de ser visto. Uma obra que remete à nostalgia de uma época onde viver parecia ser bem mais simples do que é hoje.

    25 de junho de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus