PENETRAS BONS DE BICO

PENETRAS BONS DE BICO

(Wedding Crashers)

2005 , 119 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • David Dobkin

    Equipe técnica

    Roteiro: Bob Fisher, Steve Faber

    Produção: Andrew Panay, Peter Abrams, Robert L. Levy

    Fotografia: Julio Macat

    Trilha Sonora: Rolfe Kent

    Estúdio: Avery Pix, New Line Cinema

    Elenco

    Camille Anderson, Diora Baird, Jane Seymour, Owen Wilson, Rachel McAdams, Vince Vaughn, Will Ferrell

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Será que o público jovem sabe o significado da velha expressão "bom de bico"? E será que o público em geral vai ter vontade de ver um filme com um nome tão bobinho como Penetras Bons de Bico? Bom, fora o eterno desejo das distribuidoras brasileiras de inventar títulos "criativos" e "vendedores", Penetras Bons de Bico é um filme melhor que seu título brasileiro sugere. No original, Wedding Crashers fala de dois amigos trintões que se divertem entrando de penetras em festas de casamento, comendo, bebendo de graça e ainda inventando histórias mirabolantes para conquistar as mulheres. Até o dia em que um deles se apaixona, colocando em risco a eterna fidelidade da dupla.

    Trata-se de um filme, acima de tudo, irregular, que alterna bons e maus momentos. Os bons ficam por conta da ótima química entre os atores principais, Owen Wilson (A Vida Marinha com Steve Zissou, Starsky & Hutch), Vince Vaughn (Zoolander e da refilmagem de Psicose) e a canadense Rachel McAdams, atriz que lembra Kate Beckinsale. As cenas das festas fluem bem, com bastante humor e ritmo envolvente. Os maus momentos ficam por conta, primeiro, da irregularidade da direção de David Dobkin, que deixa o pique do filme cair várias vezes e permite as chamadas "barrigas" (momentos mortos que não contribuem para o desenvolvimento da trama). E, segundo, das cenas de gosto duvidoso e sutileza grau zero.

    Porém, há um bem-vindo atrativo "politicamente incorreto" que permeia todo o filme. Penetras Bons de Bico não faz muitas concessões para conseguir uma classificação etária mais suave, sabe como chutar o pau da barraca quando necessário (e também quando não é) e propõe uma comédia para trintões e quarentões, não exatamente para adolescentes. Financeiramente, a fórmula funcionou: nos EUA, onde o filme foi classificado como "R" (menores de 17 anos precisam da companhia dos pais), as bilheterias já contabilizam polpudos US$ 177 milhões, mais do que o quádruplo de seu custo.

    Mas lá o filme não se chama Penetras Bons de Bico, o que é uma vantagem. Falando nisso, por que não "Arrombando a Festa", ou simplesmente "Invasores de Casamento"? Vai entender...

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus