PERGUNTE AO PÓ

PERGUNTE AO PÓ

(Ask the Dust)

2006 , 117 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia: 09/06/2006

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Robert Towne

    Equipe técnica

    Roteiro: Robert Towne

    Produção: Jonas McCord, Paula Wagner, Tom Cruise

    Fotografia: Caleb Deschanel

    Trilha Sonora: Heitor Pereira, Ramin Djawadi

    Estúdio: Capitol Films, Paramount Pictures

    Distribuidora: Imagem Filmes

    Elenco

    Colin Farrell, Dion Basco, Donald Sutherland, Idina Menzel, Jeremy Crutchley, Salma Hayek, Tamara Craig Thomas, William Mapother

  • Crítica

    09/06/2006 00h00

    O livro Pergunte ao Pó foi lançado em 1939. Escrito por John Fante, tornou-se referência quando se trata da chamada "literatura Beat", movimento acontecido na literatura norte-americana nos anos 50, funcionamento mais ou menos como uma negação dos formatos literários vigentes. Prosa livre e fluída serve para que os escritores contassem histórias sobre pessoas comuns, inseridas em uma grande crise pessoal e social. O livro de Fante inspirou escritores como Jack Kerouac, Willian Burroughs e Charles Bukowski a escreverem algumas das mais importantes obras da literatura Beat e, agora, ganha adaptação cinematográfica sem fazer sequer a sombra do impacto que a mesma obra causou na literatura.

    Arturo Bandini (Colin Farrell) é o protagonista de Pergunte ao Pó. Entendido como alter ego de Fante, ele é um descendente de italianos que sai de uma pequena cidade no interior dos EUA para tentar a sorte como escritor em Los Angeles, durante a crise econômica que assolou o país nos anos 30. Contando moedas e roubando leite azedo, Bandini culpa sua falta de inspiração na precariedade de experiências de vida. Com o pouco que consegue, vendendo histórias para uma revista, o aspirante a escritor procura novas experiências, mas segue entediado em sua pequena existência, vivendo num hotel como outsider numa Los Angeles baseada nas aparências.

    Eis que ele conhece Camilla (Salma Hayek), atendente no Café Columbia. Logo de cara, cria-se uma enorme antipatia entre os dois, talvez por ambos perceberem que são marginalizados, mas de maneira diferente: Bandini é um escritor fracassado e pobre, Camilla é descendente de mexicanos e não consegue livrar desse estigma social. Juntos nesse mesmo limbo social, eles acabam se envolvendo num relacionamento turbulento.

    Pergunte ao Pó tem roteiro adaptado e dirigido por Robert Towne, que já teve momentos mais inspirados - como em 1974, quando roteirizou Chinatown. A adaptação do livro de Fante é um projeto pessoal. Talvez por isso, tenha dado tão errado. Enquanto na obra literária o escritor é capaz de passar paixão no meio de tanto tédio vivido pelo protagonista, a versão de Towne é por demais pensada. Não há entusiasmo nenhum. A história é conduzida de uma forma lenta, chata. E, veja bem, o maior problema nem é Colin Farrell - cuja figura não tem nada a ver com o outsider Bandini. Existe um distanciamento tão grande entre o filme e o espectador e dificilmente ele é capaz de envolver, ou mesmo desenvolver uma ligação.

    Se o livro aborda a desesperança de uma geração que cresce e tenta viver no meio de uma América em crise, com sonhos derrubados, Pergunte ao Pó transforma-se (bem) lentamente numa história de amor entre duas pessoas perturbadas e orgulhosas. Enquanto o livro destaca-se na história da literatura, o filme não consegue ao menos uma menção honrosa na história do cinema, sendo uma adaptação muito aquém da obra original.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus