POR UM SENTIDO NA VIDA

POR UM SENTIDO NA VIDA

(The Good Girl)

2002 , 93 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Miguel Arteta

    Equipe técnica

    Roteiro: Mike White

    Produção: Matthew Greenfield

    Fotografia: Enrique Chediak

    Trilha Sonora: James O'Brien, Joey Waronker, Mark Orton, Tony Maxwell

    Estúdio: Flan de Coco Films

    Elenco

    Deborah Rush, Jake Gyllenhaal, Jennifer Aniston, John C. Reilly, John Carroll Lynch, Mike White, Tim Blake Nelson

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Um retrato do tédio das cidades pequenas. Assim pode ser definido o drama romântico Por um Sentido na Vida, filme estrelado por Jennifer Aniston, mais conhecida como a Rachel do seriado de TV Friends.

    Ela vive Justine, balconista de um supermercado perdido numa cidadezinha qualquer do interior do Texas. O desânimo é total. Poucos clientes, uma rotina desesperadora e um marido cujas principais atividades são pintar paredes, fumar maconha e ver televisão. Neste cenário, é fácil compreender que Justine se sinta atraída por Holden (Jake Gyllenhaal, de Céu de Outubro), seu novo colega de trabalho. Ele tem um ar intelectual-deprimido, sonha ser escritor e age como um sub-James Dean. Na verdade, porém, ele mora com os pais, vive trancado em seu quarto e nem chama, verdadeiramente, Holden. Neste jogo de fachadas montado para maquiar a insuportável realidade, ambos se envolvem numa rede de paixões e traições que poderá trazer trágicas conseqüências.

    O principal mérito do diretor porto-riquenho Miguel Arteta e do roteirista Mike White (que também faz o papel de Corny) é a sensibilidade ao retratar a falta de perspectiva dos habitantes de uma pequena cidade. O lugar é quase fantasma. Grandes planos abertos revelam um vazio tristemente silencioso. Até o horário do almoço dos funcionários do supermercado parece um horror: cadeiras vazias, pessoas sozinhas. Para piorar, todos sabem da vida de todos. Coerente com o tema, a narrativa também é lenta e introspectiva. Todos estes elementos fazem de Por um Sentido na Vida um filme para gostos mais particulares, para um pequeno público disposto a apreciar um trabalho mais alternativo que comercial. Não por acaso, ele estreou em apenas quatro salas, nos EUA e, mesmo assim, conseguiu faturar a relevante soma de US$ 13 milhões. Talvez "Rachel" tenha sido a principal responsável por esta bilheteria.

    18 de outubro de 2002
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus