POR UM TRIZ

POR UM TRIZ

(Out of Time)

2003 , 114 MIN.

14 anos

Gênero: Suspense

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Carl Franklin

    Equipe técnica

    Roteiro: Dave Collard

    Produção: Jesse Beaton, Jessie Beaton-Franklin, Neal H. Moritz

    Fotografia: Theo van de Sande

    Trilha Sonora: Graeme Revell

    Estúdio: Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), Original Film

    Elenco

    Alex Carter, Dean Cain, Denzel Washington, Eva Mendes, Sanaa Lathan

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Chefe de polícia de uma pequena cidade da Flórida vê sua vida virar do avesso quando descobre ser o principal suspeito de um duplo assassinato. Antes que sua ex-mulher, detetive de homicídios, descubra as provas que o incriminam, ele precisa correr contra o tempo na tentativa de reverter os indícios e se livrar de uma possível acusação. Este é o mote principal de Por Um Triz (Out of Time), filme de Carl Franklin (Crimes em Primeiro Grau e O Diabo Veste Azul) que chega às telas de cinema na sexta-feira 5.

    O roteiro do estreante David Collard não traz nada de novo para o mundo dos suspenses policiais. Histórias de personagens que têm de provar sua inocência enquanto vão ficando cada vez mais acuados são mais velhas do que andar para frente. Mas uma mesma história pode ser contada várias vezes e ainda assim trazer algo de original, o que não acontece em Por Um Triz.

    Além da falta de originalidade da trama, outro problema do filme está no desenrolar dos acontecimentos, um pouco lento demais. Na primeira metade, ficamos conhecendo o policial Matt Whitlock (Denzel Washington) e descobrimos que ele mantém um caso com Ann Harrison (Sanaa Lathan). Ela, por sua vez, é casada com o obtuso e agressivo Chris Harrison (Dean Cain, o super-homem do seriado de TV). Matt está se separando da mulher, a também policial Alex Whitlock (Eva Mendes), a nova chefe da divisão de homicídios. Quando descobre que a amante está com câncer, ele lhe empresta um dinheiro de droga que está sob sua custódia para ela se tratar. Mas, um dia depois, tanto ela quanto o marido são encontrados mortos num incêndio criminoso. A partir daí, Matt tem de se adiantar à investigação de sua ex-mulher e tentar sumir com os indícios que o incriminam. Para piorar, é pressionado pelo FBI para entregar o dinheiro do tráfico que estava sob sua responsabilidade. Só aqui - já estamos na metade do filme - o clima de thriller policial começa pra valer.

    Quem acaba compensando um pouco as deficiências do filme é Denzel Washington, que imprime profundidade ao personagem e prodigaliza personalidade na tela. Em contrapartida, o elenco feminino fica aquém, não fazendo o contraponto necessário. Sanna Lathan, cuja personagem tem importância chave no enredo, não tem o talento necessário para o papel. Eva Mendes, apesar de esforçada, também escorrega.

    Ponto positivo para a fotografia do holandês Theo van de Sande, que filtra a luz natural da Flórida dando uma escurecida no filme e contribuindo para dar um clima mais denso para a trama.

    Confira, mas não espere muito.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus