POSEIDON

POSEIDON

(Poseidon)

2006 , 98 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Wolfgang Petersen

    Equipe técnica

    Roteiro: Akiva Goldsman, Mark Protosevich, Paul Attanasio, Shirow Masamune

    Produção: Duncan Henderson, Mike Fleiss, Wolfgang Petersen

    Fotografia: John Seale

    Trilha Sonora: Klaus Badelt

    Estúdio: Warner Bros

    Elenco

    Andre Braugher, Emmy Rossum, Freddy Rodríguez, Jacinda Barrett, Jimmy Bennett, Josh Lucas, Kevin Dillon, Kurt Russell, Mía Maestro, Mike Vogel, Richard Dreyfuss, Stacy Ferguson

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Existem, basicamente, dois motivos que podem justificar uma refilmagem: dar uma nova visão, uma nova luz, a um tema já mostrado anteriormente pelo cinema, ou apresentar um assunto antigo a um público novo. Assim como o recente A Profecia, esta refilmagem de O Destino de Poseidon também só pode ser justificada pelo segundo motivo citado. Para as gerações que já curtiram o original de 1972, este remake nada acrescenta. Quem não viu o antigo pode experimentar o novo, mas com uma ressalva: o filme traz todos os cacoetes da onda "cinema-catástrofe" dos anos 70.

    A estrutura dramática é a mesma de sempre: primeiro, uma breve apresentação dos personagens tenta criar alguma empatia com público. Afinal, ninguém torce por alguém que não conhece. Depois, vem o grande fator desencadeador da catástrofe. Neste caso, uma onda gigantesca que deixa de casco para o ar um enorme e luxuoso transatlântico. Em seguida, começa o "filme videogame", ou seja, o núcleo central de personagens é submetido a uma sucessão de situações-limite das quais são obrigados a escapar... Ou morrer. Uma sucede a outra com precisão matemática, como nas fases de um joguinho de computador. Daí, é sentar e deixar o tempo passar, sem levar nada muito a sério.

    Como entretenimento puro e simples, o filme funciona, mesmo porque esbanja nos efeitos especiais, enchendo os olhos da platéia. Quando sair em DVD, será também uma boa opção para os profissionais que fazem palestras de treinamento, já que seu roteiro é repleto de "exemplos" de trabalho em equipe, liderança motivacional e todos estes temas que a turma de Recursos Humanos adora.

    Difícil dizer se propositalmente ou não. O fato é que o elenco parece ter sido escolhido em função se suas "experiências anteriores" com situações catastróficas. Richard Dreyfuss esteve em Tubarão, Emily Rossum em O Dia Depois de Amanhã e Kurt Russell em Stargate. Isso sem falar em Josh Lucas, que atuou no catastrófico Stealth - Ameaça Invisível, mas isso já é outra história...

    O diretor alemão Wolfgang Petersen tem experiência no tema, pois foi justamente um filme sobre submarinos (o ótimo O Barco - Inferno em Alto Mar) que o lançou no mercado internacional. Depois, já nos EUA, Wolfgang não demonstrou o mesmo talento, tendo dirigido os medianos Força Aérea Um, Mar em Fúria e Tróia. E com certeza não será Poseidon o filme que reerguerá sua carreira: com um custo estimado de US$ 160 milhões, faturou pouco mais que ¼ desta soma nas bilheterias dos EUA. Com o perdão do trocadilho ruim, um verdadeiro naufrágio financeiro.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus