POSSUÍDOS (2006)

POSSUÍDOS (2006)

(Bug)

2006 , 102 MIN.

16 anos

Gênero: Terror

Estréia: 24/08/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • William Friedkin

    Equipe técnica

    Roteiro: Tracy Letts

    Produção: Andreas Schardt, Gary Huckabay, Holly Wiersma, Kimberly C. Anderson, Malcolm Petal, Michael Burns

    Fotografia: Michael Grady

    Trilha Sonora: Brian Tyler

    Estúdio: Lionsgate Films

    Elenco

    Ashley Judd, Brían F. O'Byrne, Harry Connick Jr., Lynn Collins, Michael Shannon

  • Crítica

    24/08/2007 00h00

    Possuídos é o tipo de filme simples, que rodeia e seduz o espectador de uma forma vagarosa, trabalhando principalmente com seus sentidos. Por isso, é complexo, feito para o espectador que não é atraído somente por emoções baratas causadas por imagens de violência explícita. A violência, aqui, é totalmente psicológica; por isso, as sensações causadas no espectador que estiver aberto a senti-las não são apagadas ao fim da projeção.

    Dirigido por William Friedkin (O Exorcista), Possuídos é baseado em peça de Tracy Letts, que também assina o roteiro. Numa quente e empoeirada cidade norte-americana, a perturbada Agnes (Ashley Judd) trabalha num bar e vive cheia de traumas do passado. Sua vida muda quando conhece o misterioso Peter (Michael Shannon). Gradativamente, ela é envolvida pela paranóia que toma conta de seu novo amigo. Seduzida pela esperança de ter, finalmente, um relacionamento bem-sucedido, ela se envolve com o rapaz e, principalmente, com seus delírios relacionados ao governo dos EUA.

    A história de Possuídos é simples e a ação se passa quase que por completo num único ambiente, o local onde a protagonista vive. Mas, graças à direção e à excelente atuação da dupla de atores principais - com destaque para Ashley, em sua melhor atuação até agora -, a tensão cresce de forma gradativa, nada apressada, fazendo com que o próprio espectador seja capaz de entrar na paranóia dos protagonistas.

    Aos poucos, Friedkin cria um clima extremamente tenso e claustrofóbico nesse único ambiente, sendo capaz de mexer com os sentimentos do público. Assim, mais do que um filme, Possuídos é uma verdadeira experiência cinematográfica, especialmente na questão sensorial do espectador, provando que, no gênero do terror, ser sucinto pode ser muito melhor do que esbanjar banhos de sangue e efeitos especiais. Afinal, o pior monstro é aquele que os personagens são capazes de produzir na cabeça do espectador e é exatamente isso que o filme faz.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus