PROCURA-SE UM AMOR - QUE GOSTE DE CACHORROS

PROCURA-SE UM AMOR - QUE GOSTE DE CACHORROS

(Must Love Dogs)

2005 , 98 MIN.

Gênero: Comédia Romântica

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Gary David Goldberg

    Equipe técnica

    Roteiro: Gary David Goldberg

    Produção: Gary David Goldberg, Jennifer Todd, Suzanne Todd

    Fotografia: John Bailey

    Trilha Sonora: Craig Armstrong

    Estúdio: Warner Bros

    Elenco

    Ali Hillis, Ben Shenkman, Brad William Henke, Christopher Plummer, Dermot Mulroney, Diane Lane, Elizabeth Perkins, John Cusack, Julie Gonzalo, Stockard Channing

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O diretor e roteirista Gary David Goldberg (Meu Pai, Uma Lição de Vida) mostrou nas telas que realmente sabe como abordar temas envolvendo família, romance, encontros e desencontros, como já provou em sua carreira teatral que lhe rendeu dois Emmy. Em Procura-se Um Amor - Que Goste de Cachorros, Goldberg faz com que cada cena seja especial, fugindo do padrão de brigas intermináveis para depois vir o beijo final, como é típico dos filmes do gênero.

    A história foi baseada no best seller homônimo de Claire Cook e conta o recomeço da vida amorosa de Sarah Nolan (Diane Lane), uma professora da pré-escola, divorciada há oito meses. Ela foi trocada por uma mulher mais nova e está com sua auto-estima completamente abalada. Mas, quem tem uma família igual à de Sarah, não consegue ficar deprimido por muito tempo. Formada por irlandeses, que seguem a filosofia de serem felizes acima de tudo, eles se reúnem para escolher um namorado que a mereça. E já que Sarah não demonstra interesse em se envolver com alguém, suas irmãs decidem cadastrar seu perfil num site de encontros, sem que ela saiba. A foto colocada no cadastro é a da formatura do colegial e a descrição passa longe da realidade: voluptuosa e sensual. Mesmo assim, Sarah resolve se aventurar pelo mundo do amor virtual e percebe como isso pode ser complicado, pois nem tudo é verdade. A começar pela exigência que faz quanto ao seu pretendente: tem de gostar de cachorros. Mas ela mesma não tem cachorro e não entende por que sua irmã colocou essa informação. Na verdade, nem o filme explica isso direito.

    Após muitos encontros frustrados, Sarah resolve se encontrar com Jake Anderson (John Cusack). As coincidências são muitas: recentemente divorciado, abandonado pela mulher, Jake foi convencido pelo amigo, que respondeu ao anúncio de Sarah sem que ele soubesse, e também não tem cachorro. Para o encontro, ambos pegam cachorros emprestados, que incrivelmente possuem as mesmas características psicológicas dos seus donos temporários.

    Mas Jake não é o único affair na vida de Sarah. Bob Connor (Dermot Mulroney), ou Bobby como gosta de ser chamado, é um forte candidato para ocupar seu despedaçado coração. Os dois se conheceram da forma tradicional, sem a mediação virtual. Bobby é recém-separado e pai de um de seus alunos, o que para Sarah já é um bom motivo para se afastar. Na verdade, tudo serve de motivo para ela fugir de qualquer tipo de relacionamento. Por isso, acaba preferindo se apegar à cadela de seu irmão, chamada Madre Tereza, como uma forma de suprir a falta do amor fiel e incondicional.

    Os personagens bem-construídos impedem que o filme conte apenas mais uma história de amor engraçadinha, envolvendo internet e encontros catastróficos. Eles a tornam uma história real, como a do seu vizinho ou até mesmo a sua. O humor sarcástico está presente em todos, como na irmã dominadora Carol (Elizabeth Perkins), controlando a vida sentimental de Sarah, sem deixar de demonstrar seu carinho por ela. O pai amoroso, Bill (Christopher Plummer), um viúvo que pouco fala, é capaz de mover o mundo pela filha, além de ser viciado em encontros virtuais e poesia. O destaque, porém, fica para John Cusack com sua brilhante atuação como o artesão de barcos Jake. Ele consegue criar um personagem psicótico e nervoso o suficiente para assustar Sarah com suas piadas de mau gosto, sem perder a simpatia e a torcida do público. Do outro lado está Dermot Mulroney, que perde o carisma ao viver o rival Bob Connor, contrastando ao bom moço vivido pelo ator em O Casamento do Meu Melhor Amigo (1997). Diane Lane segura muito bem sua personagem, ao transmitir um humor espontâneo, mantendo o foco da protagonista.

    Procura-se Um Amor - Que Goste de Cachorros é uma comédia romântica com um humor sarcástico e irônico, na qual cada um dos espectadores pode rir dos próprios defeitos ou de um caso parecido pelo qual tenha passado. Em certos momentos do filme, não sabemos se estamos vendo uma comédia sobre amor ou sobre família. O mais interessante, além das cenas hilárias, é tentar descobrir com quem Sarah irá ficar, suspense que segura o espectador até o final na poltrona. Há momentos de certeza absoluta que será Jake, outros em que a aposta vai para Bobby e há também cenas nas quais você acredita na insolúvel solidão de Sarah. Enquanto o filme não termina, não há como descobrir. Enfim, é uma comédia romântica principalmente adulta, pois os adolescentes podem não entender o tamanho do desespero de Sarah ao ser abandonada pelo marido, sentindo-se velha e sem perspectiva para o amor. Com certeza, renderá boas gargalhadas.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus