PROTEGENDO O INIMIGO

PROTEGENDO O INIMIGO

(Safe House)

2012 , 115 MIN.

12 anos

Gênero: Ação

Estréia: 16/03/2012

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Daniel Espinosa

    Equipe técnica

    Roteiro: David Guggenheim

    Produção: Scott Stuber

    Fotografia: Oliver Wood

    Estúdio: Intrepid Pictures, Moonlighting Films, Stuber Productions

    Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

    Elenco

    Allen Irwin, Brendan Gleeson, Cyrah Austin Hawkins, Cyril Vendola, Daniel Fox, Denzel Washington, Fares Fares, Jake McLaughlin, Joel Kinnaman, Liam Cunningham, Liam Ferguson, Nora Arnezeder, Nora Bauer, Robert Patrick, Ruben Blades, Ryan Reynolds, Sam Shepard, Sara Arrington, Sherry Stone, Stephen Bishop, Tanit Phoenix, Trayan Milenov-Troy, Vera Farmiga, William James Kelly

  • Crítica

    14/03/2012 21h00

    Após hiato de dois anos, Denzel Washington dá o ar da graça e reaparece no thriller Protegendo o Inimigo, do diretor Daniel Espinosa. Em sua cola, literalmente, surge Ryan Reynolds num papel nada comum à sua carreira que, apesar de eclética, coleciona personagens permissivos, cômicos, românticos, porém em sua maioria bobos.

    Assinado por David Guggenheim, o roteiro insiste em tema exaustivamente explorado: Washington interpreta o mais perigoso renegado da CIA, que está de volta depois de uma década como fugitivo. Quando o esconderijo na África do Sul onde ele está detido é atacado por mercenários, o inexperiente oficial (Reynolds) foge junto com ele. Agora, os mais improváveis aliados têm de permanecer vivos o maior tempo possível para descobrirem quem os quer mortos.

    Embora o elenco seja atraente, a premissa deixa a desejar, caindo no erro da previsibilidade, praticamente logo de início, acabando por se tornar uma diversão mediana que extrai o mínimo de suspense da trama. Ainda assim é possível se conectar aos personagens graças a uma balança maniqueísta que acaba pendendo para o lado menos plausível, conforme as circunstâncias.

    Algumas reviravoltas fazem o espectador acordar em certos pontos de chove-não-molha, mas dá para sentir a inexperiência de Guggenheim em alguns diálogos que poderiam ter sido melhor explorados para injetar clímax em algumas situações.

    A África do Sul é o pano de fundo para as cenas de ação, necessárias a filmes do gênero. Em uma sequência de perseguição, que se desenrola em meio a uma favela, a dose de quebra-pau obrigatória acontece da melhor forma, com Denzel à vontade quebrando pescoços e atirando a esmo.

    Protegendo o Inimigo é um longa de história rasa e superficial, que irá agradar apenas aos fãs do “Dorian Gray negro” e àqueles que gostam de um thriller policial para passar o tempo. Mas não esperem nada de tirar o fôlego.


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus