QUE FIZ EU PARA MERECER ISTO?

QUE FIZ EU PARA MERECER ISTO?

(¿Qué He Hecho Yo Para Merecer Esto!!)

1984 , 101 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Pedro Almodóvar

    Equipe técnica

    Roteiro: Pedro Almodóvar

    Produção: Hervé Hachuel

    Fotografia: Ángel Luis Fernández

    Trilha Sonora: Bernardo Bonezzi

    Estúdio: Tesauro S.A

    Elenco

    Agustín Almodóvar, Amparo Soler Leal, Ángel de Andrés López, Carlos Miguel, Carmen Giralt, Carmen Maura, Cecilia Roth, Chus Lampreave, Diego Caretti, El Churri, Emilio Gutiérrez Caba, Esteban Aspiazu, Fabio McNamara, Francisca Caballero, Gonzalo Suárez, Jaime Chávarri, Javier Gurruchaga, Jesús Cracio, José Manuel Bello, Juan Martínez, Katia Loritz, Kiti Manver, Luciano Berriatúa, Luis Hostalot, María del Carmen Rives, Miguel Ángel Herranz, Pedro Almodóvar, Pilar Ortega, Ryo Hiruma, Sonia Anabela Holimann, Verónica Forqué

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Ao assistir a uma obra do diretor Pedro Almodóvar, é preciso estar sempre preparado para a imprevisibilidade. Um filme neo-realista tragicômico, Que Fiz Eu Para Merecer Isto? - original de 1984 e relançado agora nos cinemas brasileiros - apresenta de maneira bem característica o estilo que o cineasta modelou ao decorrer da carreira.

    Apesar de polêmico por chocar alguns amantes do cinema mais puritanos, é inegável o talento do diretor para agrupar diversos gêneros num só instante, criar situações arrebatadoras e dar vida aos seus personagens, por menor que seja sua participação na trama. Em Que Fiz Eu Para Merecer Isto?, Almodóvar não tem pudor e já abre a película com uma cena de sexo. Aos poucos, vai expelindo suas doses de sarcasmo, insanidade e bom humor.

    A protagonista é Gloria, vivida dignamente por Carmem Maura, parceira de trabalho do cineasta, tendo protagonizado outros de seus filmes, como Matador (1986) e, o mais conhecido, Mulheres À Beira de Um Ataque de Nervos (1988). Insatisfeita com a vida que está levando, quase na miséria e em crise no casamento com o bruto taxista Antônio (Angel de Andres Lopez), a faxineira perde as estribeiras. A situação só piora quando é obrigada a passar por uma fase de abstinência sem poder comprar seu remédio para dormir. A escolha de Carmem foi fundamental, pois ela consegue transmitir perfeitamente a condição forte e impulsiva que sua personagem necessita.

    No pequeno apartamento onde vive, Gloria divide a casa com seus dois filhos pré-adolescentes com tendências marginais e a sogra, avarenta e enxerida. Completa o núcleo da trama Cristal (Verônica Forqué), a vizinha que trabalha como prostituta e não deixa a protagonista em situações menos embaraçosas.

    Almodóvar mostra já ter um bom domínio das câmeras neste filme, o segundo de sua carreira. Apesar do roteiro e a construção final imaturos, não faltam boas idéias e experimentações, as mesmas que o diretor aprendeu a lapidar com o tempo, fazendo com que o tornasse o principal representante do cinema espanhol.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus