QUEIME DEPOIS DE LER

QUEIME DEPOIS DE LER

(Burn After Reading)

2008 , 95 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia Dramática

Estréia: 28/11/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Ethan Coen, Joel Coen

    Equipe técnica

    Roteiro: Ethan Coen, Joel Coen

    Produção: Eric Fellner, Ethan Coen, Joel Coen, Tim Bevan

    Fotografia: Emmanuel Lubezki

    Trilha Sonora: Carter Burwell

    Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

    Elenco

    Brad Pitt, Frances McDormand, George Clooney, Hamilton Willis, John Malkovich, Lenny Venito, Logan Kulick, Matt Walton, Richard Jenkins, Tilda Swinton, Tim Miller

  • Crítica

    28/11/2008 00h00

    Queime Depois de Ler é o novo filme de Joel e Ethan Coen, após o sucesso de crítica e público (ao menos o de arte) de Onde os Fracos Não Têm Vez. Como já aconteceu antes, após um longa mais denso e introspectivo, eles resolvem bagunçar o coreto e fazer um besteirol à maneira irreverente e estranha deles.

    Apesar de ter um Brad Pitt (Treze Homens e um Novo Segredo) surpreendentemente careteiro e engraçado e um George Clooney (Conduta Risco) fazendo sua canastrice brilhar, o novo longa dos ganhadores do último Oscar nunca chega a decolar. Algumas cenas são realmente engraçadas, outras provocam risadas mais pela inércia da platéia (que, se saiu de casa para ver alguma coisa, que seja para rir bastante) do que por méritos do elenco ou dos diretores. No conjunto, é interessante até, mas não chega a empolgar de fato.

    Com este filme, os irmãos Coen caíram na maldição do Oscar, que consiste em notar que alguns diretores, nos filmes imediatamente após os que foram premiados, tendem a relaxar e perder a contundência. Aconteceu com Rob Marshall, que depois do agradável Chicago cometeu a bomba homérica Memórias de uma Gueixa; com James Cameron, que depois do grandioso Titanic, caiu num ostracismo forçado pela indústria; com Jonathan Demme, que depois do big five (os cinco principais prêmios da Academia) por O Silêncio dos Inocentes, realizou os pífios Filadélfia e Bem Amada, e até com Clint Eastwood, que vinha de duas obras primas (Sobre Meninos e Lobos e Menina de Ouro), e após o Oscar fez o dístico sobre a Segunda Guerra Mundial (formado por A Conquista da Honra e Cartas de Iwo Jima) que é "apenas" muito bom. Por que não aconteceria com os irmãos Coen?

    No ano passado, Ang Lee nos deu o belíssimo Desejo e Perigo, driblando tal maldição (sim, ainda acredito que Jack Nicholson tenha feito uma grande piada com a Academia, lendo Crash - No Limite onde estava escrito O Segredo de Brokeback Mountain). Não é o que acontece com Queime Depois de Ler. Trata-se de um filme que apesar de seu andamento irregular, com momentos realmente tediosos, se deixa ver com facilidade, mas isso é pouco para quem já nos deu Ajuste Final, Barton Fink e Onde os Fracos Não Têm Vez.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus