QUERIDO FRANKIE

QUERIDO FRANKIE

(Dear Frankie)

2004 , 102 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Shona Auerbach

    Equipe técnica

    Roteiro: Andrea Gibb

    Produção: Caroline Wood

    Fotografia: Shona Auerbach

    Trilha Sonora: Alex Heffes

    Elenco

    Emily Mortimer, Gerard Butler, Jack McElhone, Jayd Johnson, Mary Riggans, Sean Brown, Sharon Small

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    É inevitável que fórmulas de sucesso sejam repetidas. A Miramax, por exemplo, é uma empresa que criou um estilo vencedor: filmes emotivos, não necessariamente de grandes orçamentos, muitas vezes ambientados em locais exóticos, quase sempre muito bem interpretados, eventualmente um pouco melosos, e dando mais espaço à alma humana que ao efeito especial. O filme Querido Frankie não é exatamente uma produção da Miramax (embora tenha sido distribuído por ela nos EUA), mas segue bem esta fórmula.

    Co-produzido por Escócia e Inglaterra, o filme conta a história de Frankie (Jack McElhone), um garoto surdo-mudo que vive com a mãe e a avó numa cidadezinha litorânea. O pai é um marinheiro sempre distante que não vê o filho há anos e só se comunica com ele através de cartas. Bem, pelo menos é esta a idéia que a mãe do menino tenta lhe vender há vários anos, mas logo o espectador fica sabendo que tudo não passa de uma grande mentira familiar sustentada através do tempo. Uma mentira que, como todas, tem pernas curtas, já que Frankie fica sabendo que o suposto navio de seu pai está para ancorar na cidade onde mora. Mesmo assim, a mãe de Frankie se recusa a enfrentar a realidade e tenta o possível (e o impossível) para que o garoto continue acreditando na sua falsa versão dos fatos. Frankie pode ser surdo-mudo, mas sua mãe parece cega.

    O argumento seria dos mais promissores, mas o belo roteiro de Andrea Gibb se perde na direção "apressada" da estreante Shona Auerbach, que também faz a direção de fotografia. Em vários momentos, o filme parece um resumo de si mesmo, apressando-se em fazer a história acontecer, não dando os tempos necessários para que a trama seja devidamente saboreada. Como num filme de aventuras, tudo acontece muito rápido, deixando poucas dúvidas a serem resolvidas no final. É um prato comido gulosamente, o que é uma pena nestes tempos quando as boas histórias se escasseiam.

    O trailer do filme também atrapalha bastante, já que conta muitas surpresas que jamais poderiam ser entregues. De qualquer maneira, é interessante ver o verdadeiro rosto do ator escocês Gerard Butler, que o grande público só conhecia até aqui escondido sob a desfigurada mascara do recente O Fantasma da Ópera.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus