Refém da Paixão

REFÉM DA PAIXÃO

(Labour Day)

2014 , 111 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia: 13/03/2014

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jason Reitman

    Equipe técnica

    Roteiro: Jason Reitman, Joyce Maynard

    Produção: Helen Estabrook, Jason Reitman, Lianne Halfon, Russell Smith

    Fotografia: Eric Steelberg

    Trilha Sonora: Rolfe Kent

    Montador: Dana E. Glauberman

    Elenco

    Aingea Venuto, Alex Ziwak, Alexie Gilmore, Brighid Fleming, Brooke Smith, Clark Gregg, Dylan Minnette, Elena Kampouris, Gattlin Griffith, George J. Vezina, James Chen, James Van Der Beek, Jeff Witzke, Jeffrey Corazzini, Josh Brolin, Kallie Tabor, Kate Winslet, Lucas Hedges, Maika Monroe, Matthew Rauch, Sarah Fischer, Stephanie Atkinson, Suzanne Prunty, Tobey Maguire, Tom Lipinski

  • Crítica

    11/03/2014 17h00

    Este é um filme que suplica para o espectador torcer pelo êxito da história de amor de seus personagens centrais. Mas o desenrolar moroso e a pouca inventividade da trama não conseguem extrair nada mais que uma escassa simpatia por eles. E isso porque temos Kate Winslet e Josh Brolin como protagonistas. Os atores fazem a parte deles, mas a historinha do homem perfeito que aparece para salvar uma mulher da solidão parece extraída de um romance da coleção Sabrina.

    A trama se passa em 1987 e é narrada pelo ponto de vista do menino Henry (Gattlin Griffith. Quando adulto, Tobey Maguire). Ele mora com sua mãe Adele (Winslet) depois que o pai (Clark Gregg) a trocou por outra mulher. Henry percebe a profunda solidão em que vive sua mãe depois do fim do casamento. Ela tornou-se uma espécie de eremita, raramente sai de casa e dedica-se apenas a cuidar do filho. Este tentar suprir a ausência do pai, mas sabe que o amor que dedica à mãe não é suficiente.

    Numa quinta-feira que antecede o feriado do Dia do Trabalho (Labor Day, título original do filme), Henry convence a mãe a ir fazer compras na cidade. Lá, são coagidos por um fugitivo da Justiça chamado Frank (Brolin) a levá-lo ate sua casa para que possa se esconder da polícia que o persegue. Frank não usa de violência, mas um ferimento em sua barriga (aparentemente causado por um tiro) e a perspectiva de que possam estar diante de alguém perigoso, levam mãe a filho a não reagirem.

    Frank pretende passar apenas uma noite na casa de Adele e fugir num trem no dia seguinte. Mas o trem não vem por causa do feriado e ele vai ficando. Ficando e se mostrando o homem ideal. Cozinha para mãe e filho, conserta o carro e outros problemas da casa, ensina Henry a jogar beisebol e resolve um problema de excesso de pêssegos maduros ensinando Adele a fazer uma deliciosa torta. Com direito a se posicionar atrás dela enquanto seus dedos se entrelaçam sovando a massa. Não demora muito e a carente Adele começa a sair da depressão. O que vem adiante é previsível.

    Sim, o filme é de Jason Reitman, de Amor sem Escalas e Juno, mas não espere a ironia inteligente e o bom humor destes. Refém da Paixão é um dramalhão excessivo de personagens unidimensionais. Você até se esforça para gostar, mas simplesmente não consegue. Para quem não curte romances açucarados, a overdose de açúcar de quase duas horas pode soar indigesta.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus