RELAÇÃO EXPLOSIVA

RELAÇÃO EXPLOSIVA

(Hit and Run)

2012 , 100 MIN.

14 anos

Gênero: Ação

Estréia: 19/10/2012

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • David Palmer, Dax Shepard

    Equipe técnica

    Roteiro: Dax Shepard

    Produção: Andrew Panay, Kim Waltrip, Nate Tuck

    Fotografia: Bradley Stonesifer

    Trilha Sonora: Julian Wass, Robert Mervak

    Estúdio: Kim and Jim Productions, Panay Films, Primate Pictures

    Distribuidora: Califórnia Filmes

    Elenco

    Beau Bridges, Bradley Cooper, Cameron Cruz, Carly Hatter, David Koechner, Dax Shepard, Jess Rowland, John Duff, Joy Bryant, Kal Bennett, Kristen Bell, Kristin Chenoweth, Michael Rosenbaum, Nate Tuck, Ryan Hansen, Shannon Joy Rodgers, Steve Agee

  • Crítica

    18/10/2012 11h02

    É possível perceber logo nos primeiros minutos de projeção que esta fita de ação não vai longe. Abre com uma conversa pretensamente descolada entre o casal de protagonistas na cama. Uma bobagem envolvendo acusações de doenças venéreas, tapas na cara, tudo com a intenção de ser engraçado. A graça é questionável. Como não se pode julgar um filme por sua primeira cena, vamos à diante torcendo para que a abertura tenha sido apenas um deslize. Infelizmente, não é o caso.

    Buscando inspiração em filmes de Tarantino e Guy Ritche, o diretor de Relação Explosiva, Dax Shepard, faz uma mescla mal azeitada de romance, humor, personagens marginais e diálogos inverossímeis na tentativa de conquistar o público por seu caráter insólito. O problema é que nada funciona a contento. O que é para fazer rir, não tem graça; o romance entre os protagonistas - o casal da cena de abertura na cama - não tem química; e as conversas inusitadas em situações improváveis são mal elaboradas e não divertem.

    Estrelada também por Shepard, a trama gira em torno do ex-assaltante de bancos Yul Perrkins, que vive em uma pequena cidade da Califórnia com sua namorada, Annie (Kristen Bell). Ele resolve abandonar o programa de proteção a testemunhas para ajudá-la a conseguir o emprego dos sonhos em Los Angeles. O conflito se dá quando o "mala" do ex-namorado de Annie (Michael Rosenbaum) o entrega a seus ex-cúmplices (liderados por Bradley Cooper), o que transforma a viagem em perseguição da qual também participa também um policial federal atrapalhado vivido por Tom Arnold.

    A intenção do filme é a diversão descomprometida, isso está claro. A questão, no entanto, é que mesmo para fazer uma grande brincadeira é preciso ser consciencioso, do contrário as coisas não rendem. Para efeito de comparação, podemos citar o filme Plano de Fuga, produção de 2011. Estrelado por Mel Gibson, segue na mesma toada: uma história nada crível, cheia de diálogos divertidos e muita ação. Naturalmente, a produção se sustenta no carisma de Gibson, mas funciona no todo. Já Relação Explosiva não tem protagonista carismático nem consegue achar um norte, pois os diversos elementos que compõem um filme nessa linha são mal desenvolvidos.

    Nem mesmo as perseguições de carro salvam o filme. O que era para ser eletrizante torna-se tedioso. Não demora muito para você se ver bocejando enquanto carrões dão cavalos de pau na tela. Ao menos a trilha sonora, que conta com músicas como Sweet Emotion, do Aerosmith; Over The Hill, de John Martyn; Let My Love Open The Door, de Pete Townshend, entre outras boas canções, tornam a sessão menos indigesta.


Deixe seu comentário
comments powered by Disqus