RICKI AND THE FLASH: DE VOLTA PRA CASA

RICKI AND THE FLASH: DE VOLTA PRA CASA

(Ricki and the Flash)

2015 , 102 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia Dramática

Estréia: 03/09/2015

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jonathan Demme

    Equipe técnica

    Roteiro: Diablo Cody

    Produção: Marc Platt, Mason Novick

    Fotografia: Declan Quinn

    Trilha Sonora: Mike Ford

    Estúdio: Clinica Estetico, LStar Capital, TriStar Pictures

    Montador: Wyatt Smith

    Distribuidora: Sony Pictures

    Elenco

    Audra McDonald, Ben Platt, Carmen Carrera, Charlotte Rae, Kevin Kline, Li Jun Li, Lisa Joyce, Mamie Gummer, Maria Di Angelis, Marko Caka, Melanie Foster, Meryl Streep, Nick Westrate, Rick Springfield, Sebastian Stan

  • Crítica

    02/09/2015 17h18

    Dizem que a vida imita a arte. Ricki And The Flash: De Volta Pra Casa faz o caminho inverso no roteiro e no elenco.

    O filme traz Meryl Streep (Caminhos Da Floresta) e Mamie Gummer (Cake: Uma Razão Para Viver) no papel de mãe e filha, mesma relação que partilham na vida real. Meryl vive uma guitarrista e vocalista que faz shows aos finais de semana ao som de clássicos do rock. Durante a semana, ela trabalha como caixa de supermercado e tem uma rotina nada glamourosa.

    Para ter esse estilo de vida, ela largou para trás o ex-marido (Kevin Kline) e os filhos. Quando Julie (Gummer) se divorcia contra sua vontade, Ricki é convocada para ficar ao lado da filha nesse momento de dificuldade.

    A reaproximação está longe de ser feliz. A filha acusa a protagonista do abandono e não aceita sua ajuda. Mesmo assim, Ricki insiste em uma jornada de reconquistas e arrependimento. A relação com o ex também não é harmoniosa e situações embaraçosas se acumulam no enredo, o que resulta em algum humor para uma trama que poderia ser indigesta.

    A ligação do longa com a vida real no roteiro está na protagonista. A personagem Ricki foi inspirada na sobra da roteirista Diablo Cody (Jovens Adultos), mas cai como uma luva em seu tipo de narrativa. A escritora se preocupa em abordar o protagonismo feminino em história de personagens autênticos.

    Ricki tem claras falhas de caráter, como a intransigência em ouvir opiniões que difiram de sua visão retrógrada da sociedade, mas suas falhas se revertem em simpatia perante o público. Assim, ela tem permissão para se arrepender de ter abandonado a vida familiar, ou para não definir sua relação sentimental com um companheiro de banda (Rick Springfield).

    Outra opção que ajuda na verossimilhança está no repertório da The Flash, banda capitaneada por Ricki. As músicas remetem ao rock clássico sem apelar para hits óbvios, com uma playlist que inclui Bruce Springsteen e Tom Petty and the Heartbreakers.

    Além de autêntico, o filme ganha personalidade. Com essa soma de fatores, Ricki and the Flash: De Volta para Casa é um drama com verdade em suas cenas. O resultado é uma história com emoção real, mas que consegue terminar com a leveza de uma balada de soft rock.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus