RIO CONGELADO

RIO CONGELADO

(Frozen River)

2008 , 97 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 20/02/2009

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Courtney Hunt

    Equipe técnica

    Roteiro: Courtney Hunt

    Produção: Chip Hourihan

    Fotografia: Reed Morano

    Trilha Sonora: Peter Golub, Shahzad Ismaily

    Estúdio: Frozen River Pictures

    Elenco

    Charlie McDermott, Dylan Carusona, James Reilly, Jay Klaitz, John Canoe, Mark Boone Junior, Melissa Leo, Michael O'Keefe, Michael Sky, Misty Upham

  • Crítica

    20/02/2009 00h00

    Capitaneada pelas duas indicações ao prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, a produção independente Rio Congelado aborda com extrema melancolia diferentes - e sempre tristes - aspectos da maternidade.

    Ray Eddy (Melissa Leo) está no centro do filme independente, dirigido pela estreante Courtney Hunt. Morando numa casa pré-fabricada com os filhos, T.J. (Charlie McDermott) e Ricky (James Reilly), ela não consegue sustentar sua família com seu emprego de atendente numa loja local; para piorar, ela acaba de ser abandonada pelo marido. Contando as moedas, alimentando os filhos com pipoca de micro-ondas, ela acaba encontrando numa atividade ilegal a forma de conseguir sustentar a família às vésperas do Natal e comprar uma nova casa pré-fabricada.

    Ray mora na pequena Massena, localizada na divisa entre o Estado norte-americano de Nova York e Canadá, próximo a uma reserva onde vivem índios Mohawk, tribo à qual pertence Lila (Misty Upham), cujo destino acaba cruzando com o da protagonista quando ambas passam a trabalhar juntas, apesar de suas diferenças e conflitos, como "coiotes": elas atravessam um rio congelado a fim de trazer trabalhadores de outros países, como China e Paquistão, do Canadá para os EUA, tentando atravessar a fronteira sem levantar suspeitas.

    Calcado em atuações consistentes e num roteiro direto e extremamente melancólico, Rio Congelado é conduzido por personagens que lidam de forma diferente com a maternidade, cujos destinos acabam sempre marcados pelo fato de serem mães. Além disso, o drama também atinge níveis sociais ao abordar a pobreza material não somente dos indígenas que vivem na região, mas também de outras pessoas - norte-americanas ou não - que, abandonados, buscam formas, muitas vezes ilegais, de sobreviver.

    O mais incrível é que, em meio a tanta pobreza, num ambiente inóspito por conta das baixas temperaturas, famílias dilaceradas e tragédias, o filme ainda consegue extrair alguma luz em meio a tanta tristeza. Rio Congelado é um filme melancólico, mas, graças principalmente à veracidade conferida pela excelente atuação do elenco - em especial as duas atrizes protagonistas, as poucos conhecidas Melissa Leo (indicada ao Oscar de Melhor Atriz) e Misty Upham -, envolve o espectador de tal forma que é impossível não ser tocado pelas situações dramáticas nas quais são inseridas.

    Courtney Hunt mostra coragem em seu primeiro longa-metragem. Quando a maioria das pessoas ainda prefere ir ao cinema em busca de um entretenimento leve, um alivio para suas próprias misérias, Courtney ainda tem coragem de explorar uma trama extremamente triste, encontrando, desta forma, seu público. Apoiada pelas atuações, por um roteiro consistente e pungente, ela não somente toca como conquista a platéia disposta a, como ela, encarar as mazelas desta trama com o coração e a mente abertos.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus