RISCO IMEDIATO

RISCO IMEDIATO

(Good People)

2014 , 91 MIN.

16 anos

Gênero: Ação

Estréia: 09/04/2015

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Henrik Ruben Genz

    Equipe técnica

    Roteiro: Kelly Masterson

    Produção: Anna Friel, Avi Lerner, Bertram Burns-Tucker, Diana Hardcastle, Ed Cathell III, Eddie Richardson, Eric Kranzler, Hazel Anderson, James Franco, Martin Wilde, Michael Jibson, Oliver Dimsdale, Rachel Younger, Thomas Arnold, Thomas Gammeltoft, Tobey Maguire, Tom Wilkinson, Waj Ali

    Fotografia: Jørgen Johansson

    Trilha Sonora: Neil Davidge

    Estúdio: Eyeworks Fine, Film 360, Material Pictures, Millennium Films

    Montador: Paul Tothill

    Distribuidora: Califórnia Filmes

    Elenco

    Diarmaid Murtagh, Francis Magee, James Franco, Kate Hudson, Maarten Dannenberg, Michael Fox, Omar Sy, Orlando Burns-Tucker, Sam Spruell

  • Crítica

    07/04/2015 13h37

    Quando um filme usa a estrutura de um gênero cinematográfico para entreter enquanto se discute questões mais profundas, ganha pontos extras. Risco Imediato obtém tal façanha ao explorar a fórmula do cinema policial para apresentar debates éticos.

    Depois de herdar uma residência antiga na Inglaterra, Tom (James Franco, de A Entrevista) e Anna (Kate Hudson, de O Noivo Da Minha Melhor Amiga) deixaram para trás os Estados Unidos para tentar a sorte no Velho Mundo. Entretanto, a estadia não está sendo fácil e o casal se equilibra na corda bamba para manter as finanças domésticas. A reforma da casa herdada parece não ter fim e poucos trabalhos de construção surgem para Tom. O martírio se completa com as sucessivas falhas na tentativa de engravidar.

    O casal sublocou o porão na casa alugada onde moram para ter alguma verba extra. Essa decisão mudará a vida dos protagonistas, pois o inquilino (Francis Magee, de Martelo dos Deuses) é um criminoso que traiu seus comparsas para ficar com uma grande soma de dinheiro. Em um acerto de contas, o ladrão é assassinado.

    O que parecia ser apenas mais uma chateação para aumentar a desesperança de Tom e Anna se revela como uma saída inusitada para os débitos. Os protagonistas encontram o dinheiro escondido e se veem diante de um dilema: entregar o achado para a polícia, ou usar a grana para ter um reinício livre de dívidas.

    As discussões éticas levantadas por Risco Imediato vão mais longe, quando consideramos a figura do detetive Halden (Tom Wilkinson, de Selma). Ele quer descobrir o paradeiro do dinheiro e dos parceiros do crime, porque a gangue é responsável pela morte de sua filha. Apesar do envolvimento pessoal, Halden ignora a ordem dos superiores para se afastar das investigações.

    Portanto, todo o terreno é preparado no terço inicial do filme para que o espectador fique intrigado pelo desfecho ao mesmo tempo em que faz as reflexões éticas às quais estão submetidos os personagens. Infelizmente, é nesse ponto que o roteiro se empolga demais e perde o prumo.

    Para a história seguir adiante, Risco Imediato se vale de decisões imbecis de seus personagens, especialmente Anna. Além de pagar as dívidas, ela usa o dinheiro do roubo para presentear uma amiga e pagar um tratamento de fertilidade, sem considerar que seus gastos chamariam a atenção. Mais adiante, Halden também terá a chance de tomar atitudes infelizes. Se por um lado o filme ganha dinâmica, arrisca a simpatia do público.

    No terço final, o exagero fica por conta dos vilões. O chefão do crime Khan (Omar Sy, de X-Men: Dias De Um Futuro Esquecido) fará de tudo para não ser passado para trás por amadores, mas chega ao ponto de não ter mias motivações pessoais claras, a não ser manter sua fama de mau.

    Dessa forma, Risco Imediato consegue desperdiçar toda a construção dramática interessante de seu começo por não dedicar cuidado suficiente em manter o tom. Se, em seu total, o filme optasse apenas pela eloquência do início ou pela pirotecnia do final, o resultado seria mais coerente.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus