SABOR DA PAIXÃO

SABOR DA PAIXÃO

(Woman on Top)

1999 , 91 MIN.

14 anos

Gênero: Romance

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Fina Torres

    Equipe técnica

    Roteiro: Vera Blasi

    Produção: Alan Poul

    Fotografia: Thierry Arbogast

    Trilha Sonora: Luis Bacalov

    Elenco

    Harold Perrineau Jr., John de Lancie, Lázaro Ramos, Mark Feuerstein, Murilo Benício, Penélope Cruz, Wagner Moura

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Sempre é bom lembrar: documentário é documentário. Ficção é ficção. E o cinema nunca teve compromisso nenhum com a vida real. Por isso, não estranhe o filme Sabor da Paixão: a personagem principal - teoricamente uma baiana - é vivida por uma atriz espanhola. O seu par romântico - teoricamente um baiano da praia - é vivido pelo branquíssimo Murilo Benício. E todos os brasileiros sabem falar inglês perfeitamente. E daí? Os alienígenas também não falam nos filmes de ficção? Assim, deixar o racional de lado e baixar o nível do senso crítico são condições fundamentais para curtir a leveza e o descompromisso da comédia romântica Sabor da Paixão.

    Simples, alegre e sem nenhuma pretensão intelectual, a trama fala de Isabella (Penélope Cruz, de Tudo Sobre a Minha Mãe), uma excelente cozinheira baiana que se casa com Toninho (Murilo Benício, estreando no cinema americano), dono de um restaurante à beira mar. Os dois são apaixonados, porém Isabella não consegue fazer amor sem estar por cima do parceiro (daí o título original do filme, Woman on Top), o que abala o machismo de Toninho. Alegando que "eu sou homem, eu preciso estar por cima", o rapaz pula a cerca do casamento. Isabella descobre, se desespera, e foge para a San Francisco, onde vai tentar vida nova. Na terra do Tio Sam, toda a exuberância e a sensualidade da espanh... quer dizer, da baiana vem à tona num caliente show televisivo sobre culinária.

    Sabor da Paixão é o típico exemplo de cinema globalizado: além da espanhola Penélope e do brasileiro Murilo, o filme é dirigido pela venezuelana Fina Torres, tem roteiro da paulistana Vera Blasi, e produção da norte-americana Fox Searchlight, ramificação da 20th Century Fox para projetos menos comerciais. Nesta verdadeira salada mista multinacional ainda há espaço para o ator Harold Perrineau Jr., que rouba cena como o travesti Mônica Jones.


    23 de setembro de 2000
    -------------------------------------
    Celso Sabadin é jornalista especializado em cinema desde 1980. Atualmente é crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Rádio e Televisão e do Canal 21. Às sextas-feiras é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus