SEM CONTROLE

SEM CONTROLE

(Sem Controle)

2007 , 93 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 02/11/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Cris D'amato

    Equipe técnica

    Roteiro: Sylvio Gonçalves

    Produção: Júlio Uchoa

    Fotografia: Nonato Estrela

    Trilha Sonora: Pedro Bernardes

    Estúdio: Ananã Produções

    Elenco

    Cadu Fávero, Charles Fricks, Dirce Migliaccio, Edmilson Barros, Eduardo Moscovis, Gláucia Rodrigues, Igor Paiva, Josias Amon, Marcelo Valle, Mariana Bassoul, Milena Toscano, Pablo Sanábio, Polyanna Passos, Shimon Nahmias, Vanessa Gerbelli

  • Crítica

    02/11/2007 00h00

    Sem Controle, estréia da cineasta carioca Cris D'Amato na direção de um longa-metragem, transita entre o drama e o suspense para contar a história de um diretor de teatro que, decepcionado após a má-recepção de seu último trabalho entre os críticos especializados, entra numa espiral de loucura e obsessão.

    Tudo começa quando Danilo (Eduardo Moscovis) resolve escrever e dirigir uma peça sobre Manoel da Motta Coqueiro, personagem da vida real que, no século 19, fez com que a pena de morte fosse abolida no Brasil. Obcecado e decepcionado por não ter seu trabalho bem-recebido, o diretor acaba sendo internado numa clínica psiquiátrica pela amiga Márcia (Vanessa Gerbelli); é lá onde ele conhece a jovem misteriosa Aline (Milena Toscano). A relação entre os dois só faz com que a sanidade do protagonista seja colocada mais à prova ainda.

    Sem Controle não tem a intenção de ser didático ao contar detalhadamente a história de Motta Coqueiro; ao logo da trama, o roteiro esclarece, por meio dos personagens, a participação do personagem na história da legislação brasileira. Mas o que mais interessa ao filme é mostrar a forma como o personagem principal perde o controle, como salienta o título, na medida em que se envolve de forma passional tanto com a história de Motta Coqueiro quanto com Aline.

    Sem Controle é um filme bem-intencionado: por meio da direção e da montagem, o espectador é inserido nessa loucura do protagonista. O problema é que a atuação de Eduardo Moscovis não está à altura do papel. O tempo inteiro, ele parece não estar à vontade no trabalho, o que acaba comprometendo a eficiência da produção.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus