SENTA A PUA!

SENTA A PUA!

(Senta a Pua!)

1999 , 112 MIN.

anos

Gênero: Documentário

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Erik de Castro

    Equipe técnica

    Roteiro: Carlos Lorch, Erik de Castro, Márcio Bokel

    Produção: Christian de Castro, Erik de Castro

    Fotografia: Cezar Moraes

    Trilha Sonora: Eugênio Matos

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    É um trabalho lento, gradual, mas gratificante: aos poucos o público vai se acostumando a assistir documentários também no escurinho do cinema e não apenas nos canais especializados da TV paga. Ótimos filmes deste gênero já foram exibidos nas nossas salas, com repercussão positiva, casos de , Santo Forte e Babilônia 2000, por exemplo. Agora, mais um documentário brasileiro de qualidade estréia na tela grande: Senta a Pua.

    Com direção do estreante Erik de Castro, Senta a Pua mostra a participação da Força Aérea Brasileira na Segunda Guerra Mundial. Adotando uma linha clássica de narrativa, o filme mistura imagens inéditas - tomadas por aviões bombardeios - com efeitos de animação e uma sucessão empolgante de depoimentos de pilotos sobreviventes. É praticamente impossível não se emocionar com as histórias de heroísmo, amizade e humanidade narradas pelos aviadores hoje septuagenários. Chama a atenção também como as batalhas travadas na época permanecem vivas – e com riqueza de detalhes – nos corações e mentes dos que participaram do conflito.

    Senta a Pua teve a felicidade de registrar estas memórias enquanto elas ainda vivem, prestando assim um serviço de enorme valor para a própria memória deste importante capítulo da História do Brasil.

    O filme já foi exibido – em capítulos – no Canal GNT, mas ganha mais força e mais impacto agora na tela grande do cinema.

    24 de abril de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rede Bandeirantes de Televisão, Canal 21, Band News e Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus