SEX AND THE CITY - O FILME

SEX AND THE CITY - O FILME

(Sex and the City: The Movie)

2008 , 145 MIN.

16 anos

Gênero: Comédia Romântica

Estréia: 06/06/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Michael Patrick King

    Equipe técnica

    Roteiro: Candace Bushnell, Michael Patrick King

    Produção: Darren Star, Eric M. Cyphers, John P. Melfi, Michael Patrick King, Sarah Jessica Parker

    Fotografia: John Thomas

    Trilha Sonora: Aaron Zigman

    Estúdio: HBO Films

    Distribuidora: Warner Bros

    Elenco

    Chris Noth, Cynthia Nixon, David Eigenberg, Evan Handler, Jason Lewis, Jennifer Hudson, Kim Cattrall, Kristin Davis, Lynn Cohen, Mario Cantone, Sarah Jessica Parker, Willie Garson

  • Crítica

    06/06/2008 00h00

    O seriado Sex and the City revolucionou a forma como a cultura pop passou a se relacionar com o comportamento feminino. O programa tornou-se referência ao mostrar, sem pudor nenhum, como as mulheres modernas lidam com o amor, a profissão, os relacionamentos e, principalmente, o sexo. Criada por Darren Star e exibida pela primeira vez na TV norte-americana em 1998, Sex and the City mudou a forma de se mostrar o universo feminino na cultura em suas seis temporadas. Dez anos depois, soa mais sincera e moderna do que nunca em Sex and the City - O Filme.

    Dirigido e roteirizado por Michael Patrick King - que trabalhou na série original, mais como produtor executivo -, o filme é baseado nas personagens criadas pela escritora Candace Bushnell em seu livro homônimo. Provavelmente, deve atrair aos cinemas os fãs da série, mas, para os que não estão habituados às aventuras das quatro amigas nova-iorquinas, Sex and the City - O Filme começa com uma breve retrospectiva das situações nas quais elas ficaram no último episódio da série, exibido em 2004. Inclusive, tacada inteligente essa de trazer a ação do filme quatro anos após o fim da série, não em sua seqüência. Desta forma, o roteiro mostra as heroínas sinceramente envelhecidas e maduras, não como um bando de quarentonas tentando parecer ter 20 anos.

    A escritora Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker) continua com o Mr. Big (Chris Noth). Inclusive, o noivado caminha a passos largos rumo ao altar, com direito até a sessão de fotos com vestidos de noiva de badalados estilistas (como Vera Wang, Oscar De La Renta e Vivienne Westwood) para a revista Vogue. Mais fashionista impossível, o que é a cara de Carrie. Samantha Jones (Kim Cattrall), a mais fogosa da turma, está morando em Hollywood com o belo Jerry Jerrod (Jason Lewis), cuja carreira como ator decolou de vez. A romântica Charlotte York (Kristin Davis) continua casada e ainda adotou uma menina chinesa, assim Miranda Hobbes (Cynthia Nixon), que não adotou uma chinesa, mas segue casada com Steve (David Eigenberg), morando no longínquo bairro do Brooklin.

    É este o cenário inicial de Sex and the City - O Filme e ocorrem tantas, mas tantas reviravoltas que prefiro parar por aqui. Eu, como dedicada fã do seriado, não gostaria de saber mais sobre a história. Cabe a você, leitor, descobrir nas telas as novas aventuras das quatro melhores amigas.

    Mas posso afirmar que o longa-metragem não decepciona aos que já conhecem o programa de TV. Todos os elementos que formam o painel de sucesso de Sex and the City foram fielmente preservados no primeiro filme baseado na série: os conflitos, as decepções e, principalmente, a amizade leal que as quatro amigas nutrem umas pelas outras, numa química que brigas por cachês na vida real não são capazes de derrubar. A trama de Sex and the City - O Filme é tão intensa e envolvente que o espectador não percebe que o longa tem 148 minutos - a título de comparação, cada episódio da série tinha uns 22 minutos.

    Os temas recorrentes em Sex and the City - O Filme são amor, amizade e compras porque, de uma forma mais simplificada, são esses os elementos que formam o cotidiano de uma mulher que vive numa cidade como Nova York. Aliás, a cidade, a badalação do mundo fashion, figurinos marcantes (de Patricia Field, o nome por trás da vibração fashionista também no seriado) e sexo (o que seria Sex and the City sem o sexo?) também estão no longa. Uma novidade no filme é a personagem de Jennifer Hudson, que aparece na segunda metade da produção literalmente roubando a cena com seu carisma.

    Ao mesmo tempo em que supre a carência dos órfãos do seriado, finado há quatro anos, Sex and the City - O Filme também tem a capacidade de conquistar mais alguns fãs. Isso porque, independente de ser originado de um programa de TV, o longa tem força para caminhar com suas próprias pernas. Principalmente ao mostrar, com humor e cinismo únicos, a forma como as mulheres de hoje em dia se relacionam não somente com o sexo oposto, mas com a vida em geral.

    Mais do mesmo? Talvez. Mas é tão especial quanto o que já estávamos acostumados a ver na TV.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus