SEXO COM AMOR (2003)

SEXO COM AMOR (2003)

(Sexo com Amor)

2003 ,

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Boris Quercia

    Equipe técnica

    Roteiro: Boris Quercia

    Produção: Diego Izquierdo

    Fotografia: Antonio Quercia

    Elenco

    Álvaro Rudolphy, Boris Quercia, María Izquierdo, Patricio Contreras, Sigrid Alegría

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    "O que é masturbação?", questiona a professora de uma escola primária aos seus alunos numa prova. Sem ter a menor idéia do que se trata, um menino pede cola para o colega ao lado. A resposta vem de forma gestual, o que o leva, em sua ingenuidade pueril, a dar uma resposta hilária. Assim começa a divertida comédia de costumes Sexo com Amor, do estreante Boris Quércia, sucesso arrebatador de bilheteria no Chile, que chega esta semana aos cinemas brasileiros.

    O filme, sensação também nas salas mexicanas, deve parte de seu êxito à universalidade do tema: os conflitos envolvendo a sexualidade humana, mas com o grande mérito de abordar o assunto levando em conta as idiossincrasias dos latino-americanos. Luisa, a professora supracitada, depois de constatar que seus alunos carecem de orientação no assunto, resolve convocar os pais para discutir a educação sexual de seus filhos. O problema é que tanto ela como os pais parecem precisar mais de ajuda do que as crianças.

    A partir daí, conhecemos a intimidade de personagens interessantíssimos, como o casal Emilio e Macarena, que enfrenta um momento difícil na relação. Ela sofre de um terrível bloqueio psicológico e não permite que ele a toque mais. Emilio, por sua vez, não contribui muito com a situação com sua ansiedade e falta de tato. A situação piora quando a sobrinha do casal resolve passar uns dias na casa dos dois e passa a provocar o tio, que anda a ponto de bala. Temos também Álvaro, um bem-sucedido executivo viciado em sexo que, apesar de ser um marido exemplar e muito apaixonado por sua mulher, grávida de seu segundo filho, só encontra verdadeira satisfação em suas inúmeras amantes. Seus problemas começam quando o feitiço vira contra o feiticeiro e ele começa a desconfiar que sua mulher o está traindo. E por último temos a própria professora Luisa, que mantém um tórrido romance às escondidads com Jorge, pai de um aluno, que hesita em abandonar a mulher apesar de seu casamento ser apenas de fachada.

    O grande mérito de Sexo com Amor é levar para as telas personagens reais, críveis, que criam empatia imediata com o público. Como na vida real, eles enfrentam os dilemas do amor e da sexualidade tendo de lidar com traições, excesso ou falta de tesão, ciúmes, promiscuidade, sentimento de posse... Tudo pontuado com muito humor por Boris Quércia, diretor egresso do teatro e também autor do roteiro do filme, hoje considerado a grande revelação do cinema chileno. Não deixe de ver.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus