SEXTA-FEIRA MUITO LOUCA

SEXTA-FEIRA MUITO LOUCA

(Freaky Friday)

2003 , 93 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia: 20/02/2004

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Mark Waters

    Equipe técnica

    Roteiro: Heather Hach, Leslie Dixon

    Produção: Andrew Gunn

    Fotografia: Oliver Wood

    Trilha Sonora: Rolfe Kent

    Estúdio: Walt Disney Pictures

    Distribuidora: Buena Vista Pictures

    Elenco

    Christina Vidal, Harold Gould, Jamie Lee Curtis, Lindsay Lohan, Mark Harmon

  • Crítica

    20/02/2004 00h00

    Mãe e filha trocam de corpo depois de uma feitiçaria. Já ouviu falar em algum filme desse tipo? Claro, este tema parecia ser popular nos filmes da década de 80, como o clássico das "sessões da tarde" Vice-Versa (1983), no qual pai e filho trocam de corpo depois de beberem acidentalmente uma fórmula mágica. Eis que, vinte anos depois, a Disney leva às telonas Sexta-Feira Muito Louca, com estréia no Brasil neste fim de semana. Refilmagem de Se Eu Fosse A Minha Mãe, de 1976, Sexta-feira Muito Louca pode cair em um clichê cinematográfico ao explorar esse tema, mas tem alguns pontos que valem a pena o ingresso.

    O filme conta a história de Tess (Jamie Lee Curtis) e Anna Coleman (Lindsay Lohan). Mãe e filha vivem aqueles conflitos típicos de adolescente: a menina quer ensaiar com sua banda de rock-and-roll na garagem de sua casa, sair com o rapaz que quiser, usar as roupas rasgadas e, quando contrariada, bate a porta do quarto nervosa. Todo mundo que já teve garotas adolescentes em casa (ou mesmo que já tenha sido uma) sabe do que estou falando. Para piorar tudo, Anna ainda tem problemas para aceitar o casamento de sua mãe viúva com Ryan (Mark Harmon).

    Uma noite, enquanto a família vai jantar em um restaurante chinês, mãe e filha brigam na frente da dona do local, uma senhora que resolve se meter no conflito familiar e dar um biscoito chinês às duas. Só que a iguaria tem um feitiço que faz com que acordem uma no corpo da outra. E bem em uma das sextas-feiras mais importantes de suas vidas: Tess tem um jantar importante para seu casamento, enquanto que Anna e sua banda participarão de um concurso de talentos. Mas como fazer isso se uma está no corpo da outra?

    O melhor de Sexta-Feira Muito Louca, na verdade, está em Jamie Lee Curtis que, não à toa, foi indicada ao Globo de Ouro por sua performance. Quando ela incorpora o espírito adolescente de sua filha, dá show de interpretação, mostrando que comédias são sua praia. A trilha sonora também deve agradar a garotada, com versões hardcore de clássicos do rock, como Happy Together, pela banda Simple Plan; músicas interpretadas pela própria Lindsay Lohan (uma das vocalistas de sua banda no filme); Joey Ramone cantando What a Wonderful World e até uma versão punk feita pelo Bowling for Soup para ...Baby One More Time, de Britney Spears.

    Sexta-Feira Muito Louca (como você já conclui só com esse título) não é para ser levado a sério, de forma alguma. Mas, como diversão, funciona muito bem, também graças a Jamie Lee Curtis. Talvez até se transforme em um clássico das "sessões da tarde" como Vice-Versa.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus