SIMPLESMENTE COMPLICADO

SIMPLESMENTE COMPLICADO

(It's Complicated)

2009 , 120 MIN.

14 anos

Gênero: Comédia Romântica

Estréia: 26/02/2010

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Nancy Meyers

    Equipe técnica

    Roteiro: Nancy Meyers

    Produção: Nancy Meyers, Scott Rudin

    Fotografia: John Toll

    Estúdio: Scott Rudin Productions

    Distribuidora: Paramount Pictures Brasil

    Elenco

    Alec Baldwin, Blanchard Ryan, Hunter Parrish, John Krasinski, Lake Bell, Meryl Streep, Robert Adamson, Steve Martin

  • Crítica

    24/02/2010 10h04

    Depois dos bons resultados obtidos com a comédia romântica Alguém Tem que Ceder, a roteirista e diretora Nancy Meyers retoma o tema do amor na meia-idade com seu novo Simplesmente Complicado. Novo? Talvez, nem tanto. Não fosse o casal central – vivido agora por Meryl Streep e Alec Baldwin, e não mais por Diane Keaton e Jack Nicholson - o telespectador ficaria com a impressão de estar diante de uma continuação. Ou, no mínimo, de uma variação sobre o mesmo tema.

    A protagonista é Jane (Streep), dona de uma belíssima padaria, mãe de três filhos, que levou nada menos que dez anos para se recuperar emocionalmente do divórcio com o advogado Jake (Baldwin). Somente agora ela tem forças para, finalmente, tocar a vida em frente e realizar a tão sonhada reforma em sua casa (na verdade, uma metáfora para a reforma da própria vida).

    Porém, é justamente neste instante que Jake sedutoramente se reaproxima de Jane, diz que seu casamento atual está falido e quer voltar. It's Complicated, como diz o título original do filme, pois a situação agora é bem diferente: além dos três filhos – agora praticamente adultos – envolvidos, ainda há os sentimentos de uma outra criança a serem levados em consideração: Pedro, enteado de Jack neste seu segundo casamento. Isso sem falar do arquiteto Adam (Steve Martin), que comanda a reforma na casa de Jane, que também entra na disputa pela interessante divorciada.

    O filme se apóia mais nos aspectos românticos que propriamente nos cômicos. É, por assim dizer, muito mais um Romance Cômico que uma Comédia Romântica. Ainda que emoldurado por boas interpretações, belos cenários, locações típicas de revistas de decoração, figurinos idem e fotografia exuberante, sente-se claramente a falta de conteúdo. Percebe-se o receio de não abordar o tema do amor na meia-idade de maneira um pouco mais aprofundada. Lamenta-se a opção pelo comercialmente aceitável, abrindo mão de uma discussão que poderia ser das mais enriquecedoras.

    Claro está que, em se tratando de um filme com um pé fincado na comédia, Nancy Meyers opta pelo puro e simples entretenimento. Não é um demérito. Mas mesmo assim são 120 minutos que perdem o fôlego durante a projeção, principalmente pela carência de diálogos mais espirituosos ou situações mais bem tramadas. E num filme tão dialogado como este (a impressão que se tem é que nunca ninguém para de falar), um texto mais elaborado teria sido muito bem-vindo.

    Os melhores momentos acabam ficando com o ótimo coadjuvante John Krasinski (do seriado The Office), no papel de Harley, o noivo da filha de Jane. Com desenvoltura e bom timing cômico, ele lembra Brendan Fraser no começo de carreira. Preste atenção também na tocada bossa nova da trilha sonora, co-assinada pelo brasileiro Heitor Pereira, que já tocou com Ivan Lins e Simply Red, entre outros.

    Indicado a três Globos de Ouro (não levou nenhum), Simplesmente Complicado é um entretenimento descompromissado para ser visto a dois. De preferência, dois que não exijam muito de uma noite no cinema.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus