Pôster do filme Simplesmente Mulher

SIMPLESMENTE UMA MULHER

(Just like a woman)

2012 , 96 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia: 19/07/2013

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Rachid Bouchareb

    Equipe técnica

    Roteiro: Joelle Touma, Marion Doussot

    Produção: Allen Bain, Charles S. Cohen, Francesca Manno, Jean Bréhat

    Fotografia: Christophe Beaucarne

    Trilha Sonora: Eric Neveux

    Estúdio: 3B Productions, 7th Floor, The, Cohen Media Group, Minerva Pictures, Taghit llc, The Doha Film Institute

    Montador: Matt Garner

    Distribuidora: Imovision

    Elenco

    Bahar Soomekh, Chafia Boudraa, Doug James, Golshifteh Farahani, Jesse Bob Harper, Kimberly Kiegel, Lorena Fernández, Michael Ehlers, Paolina Cimino, Richard Cotovsky, Roschdy Zem, Sayed Badreya, Sienna Miller, Tim Guinee, Usman Ally

  • Crítica

    17/07/2013 15h25

    Duas mulheres levam vidas comuns em Chicago. Certo dia, o acaso e a necessidade as conduzem à estrada. Para ganhar dinheiro e seguir viagem, fazem apresentações de dança do ventre. O mote de Simplesmente uma Mulher é típico de um road movie. Mas, para causar impacto, ele precisaria ir bem mais fundo, além da superfície na qual permanece.

    Marilyn, recepcionista interpretada por Sienna Miller, mantém um relacionamento decadente ao longo de dez anos. O namorado julga ridículo seu gosto por dança. Já a imigrante Mona (Golshifteh Farahani) passa a vida sendo atormentada pela sogra por não dar um filho ao marido. Fora isso, cultiva o mesmo interesse da conhecida que faz compras na mercearia onde trabalha.

    O caminho delas se cruza definitivamente quando o marasmo se transforma no caos que leva à transformação. Traição e assassinato contribuem nesse sentido. Indo para Santa Fe na tentativa de integrar um grupo de dança, Marilyn dá carona a Mona e as duas começam a se apresentar em pequenos bares para bancar a viagem.

    O fato de o filme explorar a arte da dança traz à tona algumas questões sobre a falta de liberdade feminina, ressaltada no assédio inescrupuloso dos que as enxergam como prostitutas; e a intolerância a uma cultura diferente se evidencia na passagem mais inesperada.

    O contexto da situação de violência envolvendo as protagonistas não chega nem perto do que o personagem de Jack Nicholson sofre no clássico Easy Rider - Sem Destino, mas o longa deu um jeito de mostrar o preconceito escondido nas estradas da América. Se tivesse seguido esse caminho mais denso, certamente teria causado impacto. Mas, como já foi dito, Simplesmente uma Mulher passa sorrateiro pelos ângulos sombrios.

    Outro problema aparece nas péssimas cenas de dança. Mona consegue transmitir alguma vivacidade, enquanto a personagem Sienna Miller parece um peixe fora d'água, ainda mais quando resolve usar uma peruca nas apresentações. Se ela era a melhor dançarina no grupo do qual participava em Chicago, as outras deveriam estar em um nível lastimável.

    Mesmo assim, as atuações são boas no geral, apesar de não haver possibilidade para passagens marcantes. Em termos de estética, paisagens entre Chicago e Novo México chamam a atenção. Musicalmente, a trilha sonora com um toque oriental também deixa sua marca.

    Simplesmente uma Mulher não cria nenhum grande momento de tensão para chegar ao ápice e, consequentemente, gerar expectativa por um desfecho. Também não possui densidade suficiente para ser forte em sua linearidade. Dessa forma, tem-se um filme com alguns momentos bons, porém, morno do início ao fim.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus