SPIDER - DESAFIE SUA MENTE

SPIDER - DESAFIE SUA MENTE

(Spider)

2002 , 98 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • David Cronenberg

    Equipe técnica

    Roteiro: David Cronenberg

    Produção: Catherine Bailey, Samue Hadida

    Fotografia: Peter Suschitzky

    Trilha Sonora: Howard Shore

    Elenco

    Bradley Hall, Gabriel Byrne, John Neville, Lynn Redgrave, Miranda Richardson, Ralph Fiennes

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O cinéfilo já sabe: pode-se esperar tudo do roteirista e diretor canadense David Cronenberg. Menos um filme convencional. Scanners, Videodrome, A Hora da Zona Morta, Gêmeos - Mórbida Semelhança e o recente eXistenZ são provas mais do que suficientes do gosto que o cineasta nutre pelo inusitado e pelo bizarro. Neste sentido, Spider é um de seus trabalhos mais comportados.

    Tudo gira em torno de Dennis Cleg (Ralph Fiennes, ótimo), um homem perturbado que busca asilo numa instituição para deficientes mentais. Aos poucos, a narrativa densa e envolvente de Cronenberg vai mostrando ao público os motivos que levaram o protagonista à deplorável condição subhumana em que vive: quando menino (papel de Bradley Hall), Dennis tinha a estranha mania de atravessar seu quarto com diversos barbantes. Verdadeiras teias que lhe valeram o apelido de Spider (Aranha). Numa analogia clara - talvez até clara demais -, as teias feitas de barbante eram muito mais que apenas uma excentricidade de garoto. Elas representam a mente doentia de um menino que viu seu pai (Gabriel Byrne) trocar sua mãe (Miranda Richardson) por uma prostituta (também Miranda Richardson). Mas esta troca teria realmente acontecido? Ou seria uma ilusão de uma criança com problemas edipianos? A projeção da realidade estaria provocando no garoto as mesmas armadilhas que as teias de aranha - traiçoeiras - proporcionam às moscas incautas? O que é verdade e o que imaginação no filme de Cronenberg? Trata-se de um prato cheio para psicanalistas. Repleto de referências esquizofrênicas, o roteiro até acaba justificando o subtítulo brasileiro - Desafie Sua Mente.

    Premiado internacionalmente, Spider não é um filme de respostas, mas sim de perguntas.

    2 de janeiro de 2003
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus