STAR WARS: THE CLONE WARS

STAR WARS: THE CLONE WARS

(Star Wars: The Clone Wars)

2008 , 90 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 15/08/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Dave Filoni

    Equipe técnica

    Roteiro: Henry Gilroy, Scott Murphy, Steven Melching

    Produção: Catherine Winder

    Trilha Sonora: Kevin Kiner

    Estúdio: CGCG, Lucasfilm Animation, Lucasfilm Ltd

    Elenco

    Anthony Daniels, Ashley Eckstein, Catherine Taber, Christopher Lee, Corey Burton, David Acord, Dee Bradley Baker, Ian Abercrombie, James Arnold Taylor, Kevin Michael Richardson, Matt Lanter, Matthew Wood, Nika Futterman, Samuel L. Jackson, Tom Kane

  • Crítica

    15/08/2008 00h00

    Existem vários filmes pornográficos no mercado de DVD que trazem a singela chamada com história estampada no rótulo. Isso significa que, entre uma cena de sexo e outra, existe uma tênue linha de roteiro, um historinha, para que o filme em si não seja apenas uma longa seqüência de atos sexuais desconexos.

    Star Wars: The Clone Wars também deveria estampar em seus pôsteres promocionais a frase com história. Não que ele seja pornográfico, nada disso, mas o desenho animado produzido por George Lucas nada mais é que uma seqüência quase interminável de cenas de ação, supostamente conectadas por uma fina linhazinha de roteiro.

    No fundo, trata-se de um subproduto que condensa os três primeiros episódios da série animada homônima, já exibida na TV, e que Lucas reciclou para o cinema. É o segundo projeto de animação com o mesmo nome. Com a ação situada em algum lugar entre Star Wars: Episódio II - O Ataque dos Clones e Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith, o longa animado segue a trajetória dos jedis Anakin Skywalker e Obi-Wan Kenobi contra as forças dos malignos Conde Dookan, Asajj Ventress e General Griveous. Na linha do politicamente correto, novamente aqui the dark side of the Force foi traduzido como o lado obscuro da Força, e não lado negro, como era antigamente.

    O destaque fica para uma nova personagem, a jovem Ahsoka Tano, que entra em cena para ser aprendiz de Anakin Skywalker. Além de adicionar algumas pitadas de humor à trama - sempre tão solene -, Ahsoka deverá dar ao impetuoso Anakin algum senso de responsabilidade, característica que nunca foi o seu forte.

    Porém, para curtir o filme é necessário ser realmente muito fanático pelo universo Star Wars. Ou nerd, como queiram. A trama é frouxa, a animação não tem a precisão técnica que se espera (ou se exige) de um produto com a marca Lucasfilm e os personagens são tão expressivos como os antigos marionetes de madeira do velho seriado inglês Thunderbirds, produzido nos anos 60. É triste ver como a revolução cinematográfica iniciada por George Lucas em 1977 transformou-se apenas em mais uma cansativa franquia.

    O filme será exibido primeiro no cinemas e posteriormente no canal de TV por assinatura Cartoon Network.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus