TINKER BELL E O MONSTRO DA TERRA DO NUNCA

TINKER BELL E O MONSTRO DA TERRA DO NUNCA

(Legend of the Neverbeast)

2014 , 76 MIN.

Gênero: Animação

Estréia: 26/02/2015

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Steve Loter

    Equipe técnica

    Roteiro: Steve Loter

    Produção: Makul Wigert

    Trilha Sonora: Joel McNeely

    Estúdio: DisneyToon Studios, Prana Studios

    Montador: Margaret Hou

    Distribuidora: Buena Vista Pictures, Disney

    Elenco

    Ginnifer Goodwin, Lucy Liu, Mae Whitman, Megan Hilty, Melanie Brown, Morten Lindemann Olsen, Pamela Adlon, Raven-Symoné, Rosario Dawson, Thomas Lennon, Youlika Skafida

  • Crítica

    26/02/2015 12h45

    A Disney tem em sua galeria diversos personagens icônicos e marcantes em sua trajetória no cinema. Mas se tem um personagem que consegue simbolizar a marca da empresa é Tinker Bell (Sininho para os mais velhos). Afinal, é a fadinha de Peter Pan que aparece em várias aberturas de animações do estúdio, com sua varinha mágica iluminando o castelo da Cinderela.

    Apesar de aparecer pela primeira vez como a ajudante do menino que não queria crescer, seu sucesso foi tão estrondoso e isso a permitiu ganhar uma série de filmes exclusivos. O fato é que a estratégia deu certo e agora chega aos cinemas seu sexto longa-metragem, Tinker Bell E O Monstro Da Terra Do Nunca.

    Mesmo com o título dando a entender que a fadinha é a grande estrela da história, isso não acontece. Apesar de dar nome ao longa, ela deixa de ser o centro das atenções e vira uma coadjuvante. Isso não quer dizer que o filme seja ruim. Pelo contrário, ele é agradável e cativante, pois Fawn, que recebe o foco maior, demonstra ser uma protagonista interessante e carismática.

    Apesar de aparecer pouco nos longas anteriores, dar mais destaque a fada dos animais foi uma decisão acertada. Desde o início, a personagem se mostra autoconfiante, o que é bom, pois a faz estar presente nos momentos mais divertidos do filme. Assim, ela cria uma aproximação e identificação com o público.

    A trama começa depois de um cometa atravessar o céu da Terra do Nunca e acordar uma criatura que estava hibernando há mil anos. Enquanto isso, no recanto das fadas, Fawn precisa mostrar para todos que sabe ser responsável. Em uma bela tarde, ela encontra um monstro peludo e mal humorado no meio da floresta e começa a estudá-lo. Com a convivência, os dois acabam criando um laço de amizade.

    Mas onde a fadinha vê um amigo, as outras veem uma ameaça. Neste cenário controverso, a heroína da história vai precisar proteger o monstro de Nyx, líder das guardiãs das fadas que quer trazer a paz para a Terra do Nunca, e também provar que a criatura tem muito mais bondade do que parece.

    É claro que ver a Tinker Bell em poucas cenas frustra, mas, mesmo com ela sendo apenas uma espectadora, o filme consegue prender a atenção com uma trama bem desenvolvida e um roteiro que vai direto ao ponto. Além disso, o visual é bem bonito, principalmente nas passagens noturnas, pois condiz com o tom leve e otimista da história.

    A grande sacada do longa é que ele procura desviar o foco da franquia e trazer uma nova visão do mundo das fadas. Aqueles que curtiram os filmes anteriores da série, não irão se decepcionar com O Monstro da Terra do Nunca.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus