TITAN

TITAN

(Titan A.E.)

2000 , 96 MIN.

anos

Gênero: Ficção Científica

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Don Bluth, Gary Goldman

    Equipe técnica

    Roteiro: Ben Edlund, John August, Joss Whedon

    Produção: David Kirschner, Don Bluth, Gary Goldman

    Trilha Sonora: Graeme Revell

    Elenco

    Bill Pullman, Drew Barrymore, Janeane Garofalo, John Leguizamo, Matt Damon, Nathan Lane

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    TITAN: A FOX ENCARA OS DINOSSAUROS

    Já era difícil competir com a poderosa Disney no setor de desenhos animados. Com a entrada da Dreamworks (leia-se Spielberg) no mercado, a concorrência ficou ainda mais acirrada. A Warner está jogando a toalha, e já anunciou a desativação de sua divisão de animação. A Fox continua tentando. E fazem parte desta tentativa os 75 milhões de dólares que a empresa investiu na produção de Titan.

    Nos EUA, os resultados deixaram a Fox apreensiva: dos 75 milhões investidos, apenas 17 milhões retornaram nas bilheterias, após duas semanas de exibição. Número que aponta para o fracasso. No Brasil os resultados não devem ser mais animadores. Não que Titan seja um desenho ruim, longe disso, mas em tempos de vacas magras - onde se vai pouco ao cinema - fica difícil encarar blockbusters como Dinossauro e Missão Impossível 2.

    Dirigido por Don Bluth e Gary Goldman (a mesma dupla de sucesso de Fievel, um Conto Americano e Anastasia), Titan é uma eficiente mistura de ficção científica e aventura. A ação tem início em 3028, quando os terríveis Drej destroem a Terra, tornando os humanos um povo nômade e errante, sem lugar para viver. No melhor estilo Superman, um cientista consegue despachar seu filho para fora da Terra, antes da explosão do planeta, salvando a vida do menino e deixando com ele um poderoso segredo (os nomes Jor-El e Kal-El lembram alguma coisa?). Quinze anos depois, o garoto cresceu, e agora não vai poder fugir de seu glorioso destino: encontrar a nave Titan, que conteria os segredos para a reconstrução do universo humano.

    Direcionado muito mais aos jovens que às crianças, Titan traz todos os elementos de uma boa ficção científica adolescente: muita ação (sublinhada pela boa trilha de Grame Revell), bom humor, um herói com credibilidade (ele também erra e tem dúvidas como todo e qualquer humano), uma pitada de romance, e um roteiro bem razoável. Não traz, porém, a excelência do traço e da animação dos imbatíveis Estúdios Disney. E é aí que mora o perigo: como convencer o público da geração videogame que um desenho animado de cinema não precisa ser visualmente "tão bom" como Dinossauro ou Mulan? É difícil. Na verdade, chega-se à conclusão que Titan é um ótimo filme, uma eficiente diversão para as férias... mas que tem a missão impossível (sem trocadilhos) de combater de frente os dinossauros da poderosa Disney. E haja herói intergaláctico para tamanha façanha!

    Em tempo: quem preferir assistir às cópias legendadas vai curtir as vozes originais de Matt Damon, Drew Barrymore e Bill Pullman.


    ----------------------------
    07 de julho de 2000

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus