TODO PODEROSO

TODO PODEROSO

(Bruce Almighty)

2003 , 101 MIN.

Gênero: Comédia

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Tom Shadyac

    Equipe técnica

    Roteiro: Mark O'Keefe, Steve Oedekerk, Tom Shadyac

    Produção: James D. Brubaker, Jim Carrey, Michael Bostick, Tom Shadyac

    Fotografia: Dean Semler

    Trilha Sonora: John Debney

    Estúdio: Interscope Communications, Universal Pictures

    Elenco

    Jennifer Aniston, Jim Carrey, Lisa Ann Walter, Morgan Freeman, Steve Carell

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    É a velha história: através de alguma mágica ou intervenção divina, um protagonista de caráter discutível toma uma grande lição de vida e fica superlegal, superbonzinho. Trata-se de um dos temas mais antigos da história do cinema. Um tema que quase sempre funciona bem. Então, por que mexer em time que está ganhando? O diretor e o ator principal de O Mentiroso (respectivamente Tom Shadyac e Jim Carrey) se uniram a dois roteiristas de televisão (Steve Koren de Seinfeld, e Michael O´Keefe de News Radio) e utilizando os velhos clichês que todos amam realizaram mais um grande sucesso de bilheteria: a comédia romântica O Todo Poderoso, filme que arrecadou quase US$ 140 milhões apenas em suas duas primeiras semanas de exibição (o custo foi de US$ 81 milhões).

    O Bruce do título original é Bruce Nolan (Carrey), repórter de TV que se acha injustiçado na vida e na carreira. Como ele vive praguejando contra Deus, um dia, o próprio Todo-poderoso (Morgan Freeman) resolve aparecer para ele. Não contente com a simples aparição, Deus ainda dá a Bruce uma semana de plenos poderes divinos, com apenas duas restrições: ninguém poderá saber do trato, e o agora Deus-Bruce jamais poderá interferir no livre arbítrio das pessoas. É claro que, num primeiro momento, o jovem repórter utiliza sua força divina apenas para finalidades fúteis. Mas aos poucos ele vai aprender aquilo que todo mundo que gosta de cinema e que já viu filmes iguais a este já sabe: o bem maior prevalece sobre o bem individual. Ohh!

    Sem maiores pretensões, Todo Poderoso é um gostoso entretenimento para toda a família. Meio Disney, meio Capra, o filme cumpre o que promete: diversão e alto astral.

    04 de junho de 2003
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus