TUDO QUE EU AMO

TUDO QUE EU AMO

(Wszystko, co Kocham/ All That I Love)

2009 , 95 MIN.

16 anos

Gênero: Drama

Estréia: 31/08/2012

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Jacek Borcuch

    Equipe técnica

    Roteiro: Jacek Borcuch

    Produção: Jan Dworak, Renata Czarnkowska-Listos

    Fotografia: Michal Englert

    Trilha Sonora: Daniel Bloom

    Estúdio: Canal+ Polska, Prasa i Film, Telewizja Polska (TVP)

    Distribuidora: Lume Filmes

    Elenco

    Andrzej Chyra, Anna Radwan, Bogdan Smagacki, Brygida Turowska, Dariusz Siastacz, Elzbieta Karkoszka, Ewa Kolasinska, Grzegorz Gzyl, Halina Skoczynska, Igor Obloza, Jakub Gierszal, Katarzyna Herman, Lukasz Krzeminski, Maciej Nawrocki, Marek Kalita, Marian Jaskulski, Mateusz Banasiuk, Mateusz Kosciukiewicz, Olga Frycz, Zygmunt Malanowicz

  • Crítica

    29/08/2012 19h00

    Polônia, 1981. Um país no auge da crise política e econômica. A pressão aumenta cada vez mais e as revoltas adolescentes tornam-se arriscadas. É dentro deste recorte histórico, de tumultos e greves constantes contra o governo comunista, que Tudo que eu Amo começa.

    Na história, quatro jovens de uma banda de punk rock expressam seus sentimentos através da música. E, a partir deste fio condutor, tudo acontece: a descoberta de um grande amor, grandes sonhos, perdas, decepções e mais todas as coisas que poderiam atormentar nossas cabeças quando estamos nessa fase da vida. Ainda mais num país sob tensão contínua.

    Como podemos nos engajar e ao mesmo tempo nos divertir? Como podemos amar com pontos de vista tão diferentes? Como podemos caminhar? Será que a música pode realmente ajudar?

    O tempo todo, o filme transita por essa espécie de “dicotomia moral”, ou seja, pela apresentação de situações contrárias. Uma das cenas que marcam bem essa estrutura é quando os quatro jovens cruzam com alguns soldados. Eles vêm de lados opostos. De um deles, vemos instrumentos, música, leveza. Do outro, notamos a rigidez armada e o silêncio resignado.

    Exibido na 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e indicado ao grande prêmio do Júri no Festival de Veneza de 2010, Tudo que eu Amo é dirigido pelo cineasta polonês Jacek Brocuch, que antes esteve à frente dos longas Cauliflower e Tulips.

    As atuações são boas, especialmente a do líder do grupo Janek (Mateusz Kosciukiewicz).

    É interessante como conseguimos entender e conhecer de perto uma cultura tão diferente da nossa através dos personagens e situações propostas.

    A fotografia passeia por tons lavados, frios, ajudando a contextualizar o filme neste cenário polonês. Mas não se engane. O filme não é militante. Nem documental. Ele simplesmente usa uma época histórica como pano de fundo da trama. No fim, Tudo que eu Amo gira em torno das relações e do amor.

    E não importam as diferenças físicas, morais, culturais, geográficas, políticas... uma hora ele vai doer em você.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus