UMA HISTÓRIA DE LOUCURA

UMA HISTÓRIA DE LOUCURA

(Une Histoire de Fou)

2016 , 134 MIN.

Gênero: Drama

Estréia: 21/04/2016

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Robert Guédiguian

    Equipe técnica

    Roteiro: Gilles Taurand, Robert Guédiguian

    Produção: Marc Bordure, Robert Guédiguian

    Fotografia: Pierre Milon

    Trilha Sonora: Alexandre Desplat

    Estúdio: Agat Films & Cie, Canal+

    Montador: Bernard Sasia

    Distribuidora: Imovision

    Elenco

    Ariane Ascaride, Grégoire Leprince-Ringuet, Hrayr Kalemkerian, Razane Jammal, Robinson Stevenin, Simon Abkarian, Siro Fazlian, Syrus Shahidi

  • Crítica

    19/04/2016 13h22

    Por Iara Vasconcelos

    É possível existir compaixão e remorso em meio a um sangrento conflito? É isso que debate o diretor Robert Guédiguian (As Neves Do Kilimanjaro) em Uma História De Loucura, filme no qual o cineasta volta a abordar temas sociais e políticos.

    Dessa vez, o cineasta francês retrata os cruéis resultados do massacre armênio, que acabou por despertar uma luta armada contra a ocupação do território pela Turquia. O filme se inicia em Berlim, no ano de 1921, e mostra o julgamento de Soghomon Tehlirian, responsável por assassinar o ministro do interior turco, Talaat Pacha, principal mentor dos assassinatos em massa. Tehlirian foi inocentado pelo júri e se tornou um herói para o povo armênio.

    Sessenta anos depois, a narrativa acompanha jovens que ainda brigam para que o crime seja considerado um genocídio - apenas 29 países o reconhecem como tal. Aram (Syrus Shahidi), rapaz que vive em Marselha, não se conforma com a suposta passividade de seu pai diante do massacre. Por isso, ele aceita participar de um ataque contra o primeiro ministro turco, que culmina na morte do político. A partir daí o jovem de família tradicional abandona tudo e segue para Beirut, onde se junta à luta armada local.

    Acontece que o primeiro ataque deixa um inocente ferido. O estudante de medicina Gilles Tessier, que andava de bicicleta no momento da explosão e acaba tendo as pernas dilaceradas. Essa cena nunca sai da cabeça de Aram e sua piedade acaba atrapalhando seus planos, já que os ataques atingem cada vez mais inocentes.

    Por outro lado, Gilles também deseja conhecer o seu malfeitor. Após conhecer e se aproximar da família de Aram, ele decide viajar até Beirut para conhecê-lo e entender suas motivações. Em meio a essa jornada, ele descobre mais sobre a cultura armênia e as faces do conflito que matou tantos inocentes, o que o ajuda a domar sua revolta.

    Guédiguian soube conduzir a narrativa com sensibilidade, evitando que ela se tornasse piegas. A trama é desnecessariamente longa e seu desenvolvimento teria sido mais acertado com pelo menos 20 minutos a menos, mas isso não tira seus méritos. Há momentos mais leves, que diminuem a tensão da narrativa. A alternância de cenários, entre a casa da família armênia e o campo da luta armada, também dá ritmo ao filme.

    Uma História De Loucura faz questionamentos importantes sobre os limites de uma ideologia. Até que ponto inocentes devem ser sacrificados em nome de uma causa? Essa resposta não fica bem definida ao longo do filme, mas sem dúvidas deve despertar muitos debates, objetivo principal das obras de Robert Guédiguian.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus