UMA JUVENTUDE COMO NENHUMA OUTRA

UMA JUVENTUDE COMO NENHUMA OUTRA

(Close to Home/ Karov La Bayit)

2006 , 90 MIN.

14 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Dalia Hager, Vardit Bilu

    Equipe técnica

    Roteiro: Dalia Hager, Vidi Bilu

    Produção: Itai Tamir, Marek Rozenbaum

    Fotografia: Yaron Scharf

    Trilha Sonora: Jonathan Bar-Giora

    Estúdio: Transfax Film Productions

    Elenco

    Ami Weinberg, Danny Geva, Irit Suki, Katia Zinbris, Lana Ettinger, Na'ama Shendar, Naama Schendar, Neama Shendar, Sandra Schonwald, Sharon Raginiano, Smadar Sayar

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    Árabes, judeus, Israel, Palestina, atentados... A simples menção destas palavras - juntas ou em separado - já é suficiente para criar no imaginário coletivo cenas de terríveis filmes bélicos. E não sem motivo. Porém, Vidi Bilu e Dalia Hager, duas roteiristas e diretoras praticamente estreantes no cinema, resolveram enfocar um outro lado deste conflito. Um ponto de vista eminentemente humano, jovem e feminino, centralizado nas duas adolescentes protagonistas do sensível Uma Juventude como Nenhuma Outra.

    Neste belo filme, Smadar (Smadar Sayar) e Mirit (Neama Shendar) são duas garotas israelenses de 18 anos que muito a contragosto cumprem o serviço militar em Jerusalém. A tarefa delas não é das mais difíceis: patrulhar as ruas da cidade, com ordem para deter e cadastrar qualquer pessoa que se assemelhar a um palestino. Mas o serviço que a princípio sugere uma certa dose de facilidade, aos poucos esbarra numa dificuldade intrínseca das protagonistas: o simples desejo de ser adolescente. Como toda garota, Smadar e Mirit querem ver vitrines, arrumar os cabelos, passear, tomar sorvete, paquerar, enfim, viver, e não rastrear suspeitos pelas ruas de uma cidade que pode explodir a qualquer momento. É sobre os conflitos de uma geração de mulheres obrigadas a entrar prematuramente num mundo violentamente adulto e militarizado que o filme sustenta a sua força dramatúrgica, com resultados ao mesmo tempo vigorosos e poéticos.

    Amizades, traições, inveja, amores... Todo o universo feminino adolescente está na tela. Mas de coturno e roupa de guerra, que sempre tentam esconder os mais profundos sentimentos humanos. Sempre tentam, e - felizmente - nunca conseguem. Uma Juventude como Nenhuma Outra é um oásis de sensações dentro do cruel deserto instalado no conflito entre árabes e judeus.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus