UMA SAÍDA DE MESTRE

UMA SAÍDA DE MESTRE

(The Italian Job)

2003 , 110 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • F. Gary Gray

    Equipe técnica

    Roteiro: Donna Powers, Wayne Powers

    Produção: Donald De Line

    Fotografia: Wally Pfister

    Trilha Sonora: James McKee Smith, John Ashton Thomas, John Powell, Photek

    Estúdio: Paramount Pictures

    Elenco

    Charlize Theron, Donald Sutherland, Edward Norton, Jason Statham, Mark Wahlberg, Mos Def, Seth Green

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    A comparação é inevitável. Mas depois do hipnótico e genial Onze Homens e um Segredo, ficou difícil reviver o sub-gênero "filme de assalto" com a mesma intensidade. Este é o maior problema de Uma Saída de Mestre: o filme, em si, isoladamente, não é ruim, e até que entretém com eficiência. Mas é impossível não ficar o tempo todo com o trabalho de Soderbergh - infinitamente superior - na lembrança.

    Uma Saída de Mestre (nome bobo, porque no filme não existe a tal "saída de mestre") é a refilmagem de Assalto à Milanesa, que Michael Caine estrelou em 1969. Esta nova versão começa com um grupo de criminosos realizando um milionário e audacioso roubo em Veneza, com direito a uma espetacular escapada de barcos pelos famosos canais da cidade. Logo em seguida, porém, acontece uma traição dentro do grupo, o que abre espaço para o fio condutor da narrativa principal propriamente dita: a vendetta contra o traidor, cuidadosamente preparada nos mínimos detalhes. Afinal, a vingança é um prato que deve ser servido frio.

    Favorecido por uma produção de alto nível, belíssimas locações (que incluem a Itália e o Canadá) e por um elenco de encher os olhos, Uma Saída de Mestre é um filme que agrada bastante aos fãs do gênero ação. O ritmo é ótimo e as perseguições são bem convincentes. Por outro lado, ele também não deixa na mão quem prefere uma história mais elaborada, já que o roteiro traz boas idéias e bons momentos de humor. A direção de atores é das mais competentes, criando vínculos de empatia rápidos e eficientes entre o (grande) elenco e a platéia. Enfim, é um trabalho que cumpre o que promete... desde que o público consiga se esquecer por alguns minutos de Geroge Clooney, Brad Pitt, Julia Roberts...

    Uma curiosidade: o personagem Lyle (vivido por Seth Green, de Austin Powers) jura ter sido o verdadeiro inventor do Napster, idéia que lhe teria sido roubada por Shwan Fanning, seu então colega de quarto, e reconhecido mundialmente como o real criador do programa. O divertido do filme é que na cena em que o suposto roubo é mostrado, quem interpreta o "ladrão" é o próprio Shwan Fanning.

    E', para finalizar, outra pílula de cultura inútil: três carros Mini Cooper movidos por tração elétrica tiveram de ser especialmente construídos para o filme, já que o metrô de Los Angeles não permite que veículos a gasolina transitem pelos seus trilhos, como se vê numa das cenas.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus