URBANIA

URBANIA

(Urbania)

2001 , 70 MIN.

Gênero: Drama

Estréia:

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Flavio Frederico

    Equipe técnica

    Roteiro: Flavio Frederico, Rodrigo Penteado

    Produção: Flavio Frederico, Pity de Wolf, Zita Carvalhosa

    Fotografia: Jacques Cheuiche

    Trilha Sonora: Mário Manga

    Elenco

    Adriano Stuart, Turíbio Ruiz

  • Crítica

    22/05/2009 11h03

    O cinema americano já realizou vários “road-movies”, isto é, um filme em que quase tudo acontece durante uma longa viagem por alguma grande estrada. Agora, o cineasta carioca Flávio Frederico propõe um “street-movie”, em que a cidade de São Paulo é ao mesmo tempo tema e personagem principal.

    Assim é Urbania, mistura de drama e documentário vencedor dos prêmios de Melhor Fotografia no Festival de Gramado e Melhor Filme Documental na Jornada da Bahia.

    Longa de estréia de Frederico, Urbania mostra dois personagens que percorrem a capital paulista durante 24 horas: o chofer Zé Carlos (Adriano Stuart, de Boleiros) e seu patrão Edmundo (o veterano Turibio Ruiz), um senhor cego que não visita a cidade há 40 anos. A bordo de um velho Dodge Dart, os dois outsiders tentam reconhecer o antigo glamour da velha São Paulo, mas só encontram desilusão, miséria e uma população que faz o que pode na luta pela sobrevivência.

    São vários os simbolismos contidos no filme. Logo na primeira cena, o velho carrão chegando à cidade ao som de músicas da Jovem Guarda sugere uma viagem no tempo. Assim como um decadente “dojão”, São Paulo também já foi símbolo de status e agora está em trajetória descendente. Uma decadência que – literalmente – qualquer personagem cego pode ver.

    O próprio diretor admite que Urbania não tinha um roteiro rigidamente terminado, quando começou a rodá-lo. A idéia inicial era fazer um documentário sobre a cidade, mas aos poucos outros elementos foram se incorporando e o filme foi sendo criado quase que simultaneamente à sua rodagem. A garota de rua Carol, por exemplo, não estava prevista e ela mesma decidiu acompanhar a equipe durante as filmagens. Todas as imagens foram captadas em apenas 12 dias, em película para as cenas diurnas e vídeo digital para as noturnas.

    O resultado é emocionante, principalmente para quem acompanhou a decadência paulistana dos últimos anos. Fica difícil dizer se Urbania é um filme de ficção enriquecido com depoimentos documentais ou um documentário enriquecido com uma sub-trama ficcional. Em qualquer um dos casos, é um ótimo trabalho. Inovador, criativo e sem medo de ousar em termos de linguagem narrativa. Merece ser visto.

    3 de dezembro de 2001
    ____________________________________________
    Celso Sabadin é jornalista e crítico de cinema da Rádio CBN. Às sextas-feiras, é colunista do Cineclick. [email protected]

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus