VENTOS DA LIBERDADE

VENTOS DA LIBERDADE

(The Wind That Shakes the Barley)

2006 , 127 MIN.

12 anos

Gênero: Drama

Estréia: 13/04/2007

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Ken Loach

    Equipe técnica

    Roteiro: Paul Laverty

    Produção: Rebecca O'Brien

    Fotografia: Barry Ackroyd

    Trilha Sonora: George Fenton

    Elenco

    Cillian Murphy, Gerard Kearney, Liam Cunningham, Padraic Delaney, William Ruane

  • Crítica

    13/04/2007 00h00

    Ganhador da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2006, Ventos da Liberdade é um triste conto sobre revolucionários irlandeses que lutam em busca da liberdade durante os anos 20, em meio à ocupação britânica na Escócia. Obtendo muito menos que gostariam, descobrem o cinismo e a frieza relacionados a qualquer tratado político.

    Damien (Cillian Murphy, mais uma vez numa performance memorável) e Teddy (Padraic Delaney) são os dois irmãos que ocupam o centro da ação neste filme de Ken Loach. O primeiro é um médico prestes a mudar-se à Inglaterra a fim de trabalhar num dos melhores hospitais do mundo. O futuro promissor é adiado quando vê que soldados britânicos estão ocupando os lugares onde sempre viveu, na zona rural da Irlanda. Convencido pelo irmão revolucionário, Damien resolve permanecer na Inglaterra para lutar pelos ideais do recém-fundado IRA (Irish Republican Army, ou o Exército Irlandês Republicano), que atua no país até hoje.

    O momento captado por Loach é essencial para entendermos a história presente numa Irlanda dividida não somente geograficamente, mas também em relação aos seus ideais. O diretor capta como essa divisão se deu entre os membros do recém-fundado IRA. Lutando mais por um conceito de liberdade do que pela liberdade em si, os revolucionários se dividiram após acordo feito entre Irlanda e Inglaterra e está centrado aí o maior drama em Ventos da Liberdade.

    Filmado com câmera na mão o tempo todo, o filme envolve o espectador de forma que ele sente toda essa tensão presente nas pequenas casas da Irlanda rural que a produção foca. Alguns podem dizer que é pouco filme pra um prêmio tão significativo como a Palma de Ouro. O que faz sentido: Ventos da Liberdade passa bem longe do genial. No entanto, o drama é capaz de provocar emoções no espectador e também delineia muito bem esse quadro formado na Irlanda, tão importante para entendemos o momento atual na região.

    O filme foi acusado de antibritânico por muitos críticos, o que não deveria ser questionado, neste caso. Trata-se de um filme sobre um momento histórico, cujos acontecimentos foram devidamente documentados, mas pouco conhecidos. Mais do que ter a intenção de marcar uma posição política, Ventos da Liberdade pretende traduzir em linguagem cinematográfica um momento decisivo na história da Irlanda, focando dois personagens de mesma criação, porém ideais que se chocam, situação que funciona como metáfora para o país em questão.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus