VESTIDA PARA CASAR

VESTIDA PARA CASAR

(27 Dresses)

2008 , 107 MIN.

2000 anos

Gênero: Comédia Romântica

Estréia: 15/02/2008

página inicial do filme
  • Ficha técnica

    Direção

    • Anne Fletcher

    Equipe técnica

    Roteiro: Aline Brosh McKenna

    Produção: Gary Barber, Jonathan Glickman, Roger Birnbaum

    Fotografia: Peter James

    Trilha Sonora: Randy Edelman

    Estúdio: Spyglass Entertainment

    Elenco

    Alexa Gerasimovich, Brian Kerwin, Brigitte Bourdeau, James Marsden, Katherine Heigl, Peyton List

  • Crítica

    15/02/2008 00h00

    Às vezes, a teoria de que toda mulher quer entrar na igreja de véu, grinalda, muito choro e um bolo daqueles bem bregas (com tanto glacê que até a goela arte) parece não cair muito bem às candidatas a Amélias modernas. Mas esse ideal de cerimônia não está longe da mente de muitas mulheres; por isso, vira e mexe o assunto surge nas telas.

    É com esse eterno gancho que surge o longa de Anne Fletcher (Ela eu Dança, Eu Danço), Vestida para Casar. O filme é centrado na figura de Jane (Katherine Heigl), idealista, romântica e extremamente altruísta. Por adorar casamentos desde pequena, fica responsável pela cerimônia (e a alegria) dos outros, sem se preocupar com sua própria felicidade. Como prova de sua doação aos casamentos e recordação, Jane tem um armário com 27 vestidos de dama de honra, oriundos dos casórios que já organizou. Tudo corria bem até a chegada de Tess (Malin Akerman), irmã da protagonista, que acaba se apaixonando pelo chefe e paixão de Jane. Em meio a essa confusão, surge Kevin Doyle (James Marsden), jornalista que se torna o maior problema e a maior solução na vida da protagonista.

    Os mais afeitos às comédias românticas devem estar com a sensação de dejá vu. E não é para menos. O roteiro de Aline Brosh Mckenna, a mesma de O Diabo Veste Prada, tem grandes semelhanças como o longa O Casamento dos Meus Sonhos (2001). Nele, Jennifer Lopez e Matthew McConaughey vivem uma situação muito semelhante. Previsível e com muitos clichês, o Vestida Para Casar restringe-se a um enredo simples e convencional, sem fugir do estereótipo das comédias românticas.

    Mas Vestida para Casar não chega a cansar e seu ar de seriado de TV confere leveza e empatia com o espectador. Katherine Heighl, que atuou recentemente em Ligeiramente Grávidos, de Judd Apatow (mas é mais popular por seu papel no seriado de sucesso Grey's Anatomy), interpreta bem a típica mulher "boazinha" que dá a volta por cima com graça e despretensão. O elogio também serve para James Marsden, dos recentes Hairspray - Em Busca da Fama e Encantada.

    Muitas vezes, dizemos que um filme é bom por percorrer o caminho contrário do que esperávamos, pelo inesperado e pela situação inusitada que isso pode gerar. Vestida para Casar não surpreende, mas o espectador é capaz de exercitar o clássico desejo de "felizes para sempre", compartilhando com a protagonista aquele sentimento de justiça e de que tudo pode ser perfeito, mesmo que seja inverossímil.

Deixe seu comentário
comments powered by Disqus